NO PAIN NO GAIN
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

A jornada - Frank McGrath

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:00 am

A jornada - Frank McGrath The+Animal-Frank+Mcgrath8

A jornada - semana 00


A Estrada À Frente

A vida é dura. Ela mastiga você e cospe fora. Mas dane-se, você lida com isso… O isolamento. As dúvidas. As vozes na sua cabeça. Acorda toda manhã, no escuro… A monotonia, todo dia e toda noite. Vivendo nas sombras 24 horas por dia 7 dias por semana pode realmente acabar com você.
Então por que você faz isso? Fama? Glória? Conseguir mulheres? Está esfriando… Você faz isso porque tem algo a provar a si mesmo. Esta vida, esta viagem, esta jornada… é sobre iluminação. É sobre ver o destino enquadrado nos seus olhos, agarrando-o por 18 semanas e não deixando escapar.
Este é o propósito aqui. Dezoito semanas, e no fim você vai saber onde você chegou. O destino está no mapa irmãos. A jornada começa com a semana 00. Cheque regularmente e verifique o progresso em cada relatório. Então você está dentro? Claro que está… Agora curve-se e espere ansioso. Nós vamos andar…
COMEÇANDO

4:27AM… POR QUE EU ESTOU AQUI?
“Por que eu não estou na cama, como todos, morto para o mundo? Porque é que eu faço isto, viver com dor constante, o sofrimento, o sacrifício? Por que? Porque a dor me diz que eu estou esperto. Me lembra que estou vivo. Quem sou eu? Eu sou o destruidor de aço. Eu sou o triturador da mediocridade. Eu sou a cara do destino. Eu sou Animal…”
ISTO COMEÇA AQUI. MAS ISTO É APENAS UMA JORNADA ENTRE MUITAS…
ISTO NÃO TEM FIM. NUNCA ACABA.
“Eu começo amanhã. 18 semanas no buraco negro. 126 dias de dor. 3024 horas de fome e desejo. Já estou contando os minutos, os segundos. Quando isto terminar, eu vou estar na luz. Eu vou brihar…”
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:01 am

ATÉ LÁ, VOCÊ VAI VIVER NA SOMBRA, NA ESCURIDÃO, EM UM LUGAR QUE ALGUNS NUNCA VIRAM… ONDE O FEIO SE TORNA BONITO.
“Este lugar, esta escuridão… Não existe lugar melhor para estar. É onde o verdadeiro trabalho é feito. Então, se você estiver comigo, pegue seu tempo porque este vai ser um longo e doce passeio. Esteja preparado para sujar as mãos. Escute… Ouve o silêncio? Amanhã vai ser rock ‘n roll. Então vamos por o show na estrada. Vamos lançar o ferro no fogo…”
4:29AM… EM PÉ
“É lá fora, irmãos… Tem sido assim desde que você ou eu ou qualquer pessoa possa se lembrar. Ela vive no escuro, nos cantos da academia e em todos os lugares. Escuta… Pode ouvir? É a chamada. Aqueles que tiveram sorte de ter ouvido isso, que fizeram a jornada, sabem que o caminho é longo. O caminho é coberto com lama e pedra. Para todos aqueles que vieram antes de mim, vou te dizer isto… Eu também tenho ouvido e eu estou pronto. Estou pronto para trabalhar duro no anonimato sob o peso impiedoso, encarando o meu próprio olhar. Estou pronto para essa tarefa, e quando terminar, eu já não estarei entre o desconhecido, obscuro. É a minha vez … eu vou levantar, pode acreditar.”
4:41AM… NO JOGO

“Como você sabe se está pronto? Deixe-me dizer algo a você… Você não sabe. Estou eu mentindo aqui no escuro, sozinho na academia e pensando sobre as próximas 18 semanas, eu sei disso… Você não conseguirá encontrar respostas em lugar algum. Isto não está escrito em nenhum livro. Não existe um guia. Ninguém vai dizer está na hora. Somente uma pessoa vai saber… você. Talvez um dia você acorde e saberá que hoje é o dia e você vai começar a sua própria jornada. Apenas lembre-se disso… Tomar uma decisão para se aventurar no desconhecido, em território inexplorado – essa é a parte mais difícil. Você consegue ultrapassar isto, e o seu futuro vai abrir. O seu destino estará ao seu alcance. Não quer dizer que as coisas serão fáceis. Elas não serão. Mas apenas ficando à margem, sendo capaz de olhar sobre – é por isso que estou aqui. Escute, você não pode esperar até que pense que está pronto. Eu tenho notícias – você nunca estará pronto. Você nunca será grande o bastante. Você nunca será magro o bastante. Seus pontos fracos nunca irão melhorar rápido o bastante. Então se você esperou por aquele tempo onde você pudesse estar pronto, você nunca dará um passo a cima. E se não der um passo a cima, não estará no jogo. Eu estou no jogo. Vou olhar e ver o que está do outro lado… ”


Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:01 am

5:11AM – O ÚLTIMO TREINO

“Em algumas horas o sol vai aparecer e o mundo começará a se movimentar. Mas agora ainda é escuro, e está um frio tremendo. A academia permanece vazia, silenciosa. Eu estou sozinho. Tenho que fazer outra série. Eu aperto a barra e sinto o ferro frio em minhas mãos. Isso é familiar, mas estranho. Quantas vezes eu tenho estado sob este peso, olhando para cima, e tentando empurrar o peso através do teto? Eu não poderia começar a contar. Mas cada vez que eu sinto o ferro, digo a mim mesmo que é a primeira vez – e a última. Nunca tomo nada por garantido. Nem uma única repetição. Nem uma única refeição. Isso é o que tem me mantido de não ficar preso em uma rotina. O que vai me manter em curso para as próximas 18 semanas? É uma data circulada em vermelho. O Fisiculturismo é um trabalho? Sim. O mais severo do mundo. E a academia é o meu escritório. Quando eu chegar em casa, eu ainda não estou pronto para terminar o dia. Longe disso. O fisiculturismo é um trabalho, mas também é muito mais do que isso. O fisiculturismo… Esta é a minha vida…
Então, eu respiro fundo… Olho para cima e penso no que vem a seguir.”
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:02 am

A jornada - semana 01
ESSA É A MINHA VIDA.
TODOS OS DIAS A MESMA COISA. BANHEIRO, DEPOIS VESTIR-SE. AS CALÇAS VÃO EM UMA PERNA POR VEZ.
“Eu não sou como todo mundo. Eu não vivo como eles vivem. Eu não como o que eles comem. Sem roscas. Sem café com creme e açúcar. Sem papéis pela manhã. Agora são 6:52 da manhã e eu já estou na minha segunda refeição. Enquanto todos estão dormindo eu estou traçando o meu caminho.”
SEM PAUSAS… SEM FIM DE SEMANA… SEM DIAS DOENTE…
“O que eu faço? Sou um fisiculturista e sim, é um trabalho. O dia não começa as 9:00 e ele não vai terminar as 17:00. Começa desde a hora que eu abro os olhos para o tempo. Não são 5 dias de trabalho por semana. Eu vivo isso 24/7… Este é um trabalho. Esta é a minha vida.”
SEU TRAJETO MATINAL CONDUZ A SUA MENTE. A ROTA NUNCA MUDA.
“A parte mais difícil é aderir ao caminho, agüentar a rotina esmagante. Minha viagem não irá mudar e cada dia que passa vai me trazer mais perto do meu destino, aquele que eu circulei de vermelho e colei no armário. Não existe um descanso. Tenho milhas à avançar.”
ESSE É O MEU ALARME.
“Aquele pedaço de papel colado no meu armário? É a chamada para a ação. A declaração para a guerra. Eu colei lá para lembrar a data todo santo dia… Além disso, é o meu despertador pessoal. Toda manhã, estou fazendo os meus ovos, tomando o Animal Pak, preparando as minhas refeições – ele age como um martelo no meu cérebro. O meu alarme não tira uma soneca. Ele nunca para e faz com que eu não me descuide. Alguns dias eu o vejo e ele me deixa excitado. Sim, eu vou fazer isso. Esse é o meu destino. Outros dias eu penso, “O que diabos estou fazendo? “Pareço um idiota.” De qualquer maneira, eu não posso escapar. Todo tempo eu vejo aquele pedaço de papel, ele me encara, me chama, me desafia. Então eu apenas sigo em frente. Escuta, é assim que as coisas funcionam. Se você quer algo feito precisa estabelecer isso como meta. Então escreva e coloque em um local onde você não possa se esconder dele. Todo dia observe e pergunte a si mesmo, estou além do que eu estava ontem? Estou indo em frente? Caso não esteja, por que você estabeleceu isso como um objetivo? O meu objetivo está lá acima, circulado com tinta vermelha permanente. Todo dia ele me cumprimenta, o meu próprio despertador. Se eu ouvir atentamente, eu juro que posso ouvi-lo passar. Tick… Tack… Tick… passando de 126 dias para baixo. Não pode ouvir? É duro, ameaçador. E é o seu caminho tortuoso até baixar a 0…”
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:02 am

ESSE É O MEU LUGAR.
“Meu lugar? É um pequeno e escuro buraco. Um lugar onde seria difícil levar meus pais, muito menos a minha namorada. Mesmo assim, eu tenho três cômodos e um telhado sobre a minha cabeça. Não é muito, mas isso faz o trabalho feito. Aqui nesta sala tem apenas um banco, um grande espelho, um som de quando eu estava no ensino médio, e algumas luzes. Esta é a suposta sala de estar, mas eu chamo de minha sala de poses. Para inspiração, eu tenho alguns pôsteres de grandes fisiculturistas do passado. E um grande espelho para me observar minuciosamente. Sim, lar doce lar. Então, essa menina eu só comecei a ver outro dia, ela veio pela primeira vez, e com esse olhar chocado em seu rosto, ela me perguntou por que eu não tenho um lugar melhor. Uma mesa de café. Um sofá. Algum lugar onde ela possa sentar. Mesa de café? Sofá? Dane-se isso. O que vem depois, algumas flores de seda? De qualquer maneira eu digo a ela que há sempre duas cadeiras na cozinha… e a minha cama. Olha, regra número um, e eu sempre digo isto logo, desde o início – se você quer me ver, você terá tudo de mim. Tudo. O que é muito, ou o que é pouco depende de como você vê as coisas.
Não estou aqui para ficar calado e deixar a poeira sentar nos meus ombros… Possessões, todas as porcarias que você coleciona – essas coisas põem você para baixo. Neste mundo, não tenho muito – apenas a roupa à minha volta e esse ardente desejo em meu coração. Mas ta tudo certo porque eu estou só de passagem… Em meu caminho para algo maior.”

ESSA É A MINHA MENTE.
“Está frio lá fora. Então, ultimamente tenho gastado muito tempo aqui dentro, nestas três salas que chamo de lar. A cozinha. O quarto. A sala de estar. Estes cômodos são como os confins da minha mente. A cozinha, a minha fome. O quarto, o meu desejo. A sala de estar, minha solidão. Três coisas que eu tenho que lidar a cada dia. Porcaria, vou gastar muito do seu tempo dentro desses lugares, dentro da minha mente. Fora, no mundo real, você pode sempre sair para respirar. Na minha cabeça, não há nenhuma fuga… Nunca. Quando eu encontro outras pessoas, elas me olham e dizem que sou um estúpido, grande demais. Alguém que não tem um pensamento em seu cérebro. Dane-se. Eu tenho o problema oposto. Eu penso demais. Eu me debruço sobre muitas coisas. Minha mente divaga… Às vezes me sinto encurralado… Como se as paredes estivessem se fechando contra mim. É sufocante. Pergunto-me se posso manter isto por mais dezessete semanas, e chegar até o final. Mas dentro dessas três salas devo permanecer. Sozinho com a fome, desejo, solidão. Tenho que me manter em frente. Tenho que continuar andando… Então, quando eu estou aqui, em outra noite, sozinho, sentado, digo a mim mesmo que não estou ficando louco. Estes são os inquilinos que ocupam a minha mente – o lugar onde eu vivo.
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:02 am

Semana 02
EU NÃO VOU VOMITAR
O QUE DEFINE VOCÊ? ESSA BUSCA? O DOMÍNIO DE SI MESMO.
“Eu não vou… vomitar. Eu não vou… vomitar. Eu não vou… vomitar. Não desta vez. Eu mastigo sobre estas palavras obrigando a ação delas através da minha cabeça. Na cozinha, fazendo outra refeição sozinho, são apenas estas palavras e outro prato de frango e arroz. Estou apenas na segunda semana e já estou farto disso.”
NA ESTRADA PARA O DESTINO, NÃO VACILE… NÃO OLHE PARA TRÁS.
“Morda, mastigue, água, mastigue, água, mastigue, engula. Repita. Este é o meu sistema. Escute, a parte mais difícil não é o treino. Não é o cardio ou o fato de levantar no escuro, em uma manhã gelada. É a dieta. A monotonia de comer. O meu treino não vai mudar muito. Mas e a alimentação? Ela que irá me definir…”
PARA ULTRAPASSAR SEUS INSTINTOS BÁSICOS, VOCÊ DEVE INSISTIR NA SUA VONTADE.
“Alguns dias eu estou realmente com fome… Estes são os dias bons. A comida é seca e com gosto ruim, mas pelo menos eu consigo comer tudo e ainda manter o controle da situação. Outros dias eu apenas sento e a encaro. Fico suando frio. Tenho de dizer a mim mesmo para começar.”
MANTENHA O CURSO… MANTENHA O CONTROLE OU VOCÊ VAI PERDER SEU CAMINHO.
“Pessoas em outro mundo, elas não entendem. Não podem. Elas comem instintivamente. Para mim, comer é outra parte da minha vida que precisa ser controlada. Tenho estudado sobre como se alimentar, como superar a minha fome. Isso parece um saco, mas é o que tenho que fazer para estar preparado. É um saco e eu ainda tenho muito a percorrer.
COMENDO PARA VIVER
“A maioria das pessoas vive para comer. Elas aproveitam a comida, o sabor e todas essas coisas. Elas sempre comem o que querem. Sim, o que eu não daria para comer o que eu quero nesse momento… Eu gosto de comer comida também. Quem não gosta? Mas eu tenho que comer para viver. Estou comendo para conseguir algo. Mal posso agüentar o que estou comendo agora. Mas sabem o que? Existe algo confortante sobre tudo isso: A regularidade, a persistência. Se há alguma coisa regular na minha vida, é a alimentação. Funciona como um relógio. Sigo um horário definido em cada uma das minhas 6 refeições. Para cada refeição, eu sei o que e quanto estou comendo. Controlo muito a ingestão de calorias, proteínas, gorduras, carboidratos grama por grama. O mais difícil é a variedade, eu não posso comer muitas coisas. E é isso. Quando estou em dieta, desejo comer alimentos que normalmente não gosto. Isso é muito estranho. Todo caso, quando vou às compras toda semana, é um pedaço de bolo. (Bolo… Ah saco, lá vou eu de novo, sonhar acordado…) Quatro corredores, quatro itens. Uma coisa sobre compras – sempre vá após fazer uma refeição. O maior erro é ir quando tiver fome… Então, eu vou a cada semana – o mesmo dia, no mesmo tempo. Todo mundo me conhece no mercado, então não fazem perguntas. Ontem, quando eu estava lá, uma nova caixa me observou, uma garota bonita. Nunca a vi antes. Enfim, como estava comprando sete dúzias de ovos, ela olhou para cima, sorriu e disse: “Ei, você deve gostar de ovos, não é?” Na minha mente, tudo se volta… Estou pensando o quanto eu odeio ovos. Como ela poderia saber que eu cozinho uma dúzia de manhã, retiro as gemas e como as claras? E a noite, antes de eu ir para a cama, é a mesma coisa? Ela não pode saber. Ela não sabe como é difícil comer ovos assim. Em algumas ocasiões, eu mesmo vomito. Quando isso acontece, tenho que começar de novo. Como eu disse, isto não é viver para comer…

VOCÊ É O QUE VOCÊ COME
“Crescer, não sei quantas vezes ouvi isso… “Você é o que você come.” Dane-se isto. Se isso fosse verdade, eu seria uma vaca. Sim, uma grande vaca com uma traseira de aveia, chifres de batata doce e ovos nos cascos. Que coisa que seria. Comer a mesma coisa todos os dias é muito difícil. Também existem outras questões que vêm com o período de dieta… Como a paciência que precisa para explicar porque você come as mesmas comidas, os mesmos alimentos por semanas a fio. Quando se trata deste esporte, o alimento é o alicerce, a fundação. Neste nível, tudo tem que ser apenas correto.
Outra questão – lidar com o fato de não ser capaz de sair nos fins de semana para se divertir e relaxar. A fase de dieta pode realmente fazer deste esporte algo muito solitário. Veja sobre o que estou falando… Essa garota que tenho encontrado, seu aniversário está chegando e ela quer que ele seja especial, um jantar. Eu disse a ela que estou em dieta, ela é rígida e eu gosto disso. “Sente-se e me veja comer” diz ela. Agora me diga, o que está errado com isso? Eu deveria apenas sentar lá com um sorriso no rosto? Eu tento explicar a ela o que significa a fase de dieta, colocar em termos que ela fosse entender. Pergunto a ela por que é que ela sempre sai com a sua bolsa. “É que tenho tudo o que é meu de valor lá dentro.” Bem, quando eu sair, vou levar um refrigerador que vai tudo o que é valioso para mim. Esse refrigerador é a minha salvação. Quando estou fora há mais do que duas horas, levo um refrigerador comigo. OK. Agora, dependendo do que ela está usando, ela vai levar uma bolsa ou outra. E eu? Dependendo de quanto tempo eu estou fora, eu vou levar o meu refrigerador grande ou pequeno. Até aí tudo bem. Agora eu lhe pergunto sobre o trabalho. Ela tem um trabalho com bastante regularidade de horas. Ela olha para o relógio para ver o dia passar. Eu, eu posso muito bem dizer que hora do dia é porque estou fazendo uma refeição. Agora o que dizer sobre alimentação? Ela é uma garota magra e uma pessoa realmente bonita, mas ela me diz que tem a ver com o que ela come. Eu vejo o que eu como também. Mas ela não come apenas quatro tipos de alimento. Eu digo a ela para imaginar uma fatia de pizza. “Qual a primeira coisa que vem a mente?” Eu lhe pergunto. Ela começa a falar sobre o gosto. Sim, isso é como a maioria das pessoas é. As pessoas vão ao longo da vida permitindo um monte de coisas. Como facilmente eles poderiam comer o que querem, quando querem. Elas vivem a vida na superfície, elas não tentam ver abaixo dela. Quando outros vêem uma fatia de pizza ou um hambúrguer, eles estão pensando em como é bom o gosto. Eles estão à procura de satisfação, gratificação. Para mim, quando vejo comida, eu vejo duas coisas, e apenas duas coisas. Vejo tijolos e vejo porcarias. Cada boa comida que como, assim, é mais um tijolo nessa casa que estou construindo. Eu sabia que iria passar a ter um monte de tijolos e um monte de tempo. Mas se eu comer aquele hambúrguer ou beber aquela cerveja, bem, então eu estou comendo porcaria. É simples: Você não pode construir uma casa feita de merda e esperar que ela fique de pé para a chuva. Com a primeira gota de água, você está perdido. Então, para mim, cada vez que eu ver um pedaço de comida, eu pergunto a mim mesmo, eu estou construindo ou colocando abaixo a casa? Será que a minha casa vai resistir a qualquer tempestade ou vai desmoronar facilmente? Enfim, acho que estou começando a ficar com a garota. Acho que ela está começando a entender. Eu acho. Agora, sobre o aniversário…”
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:02 am

DENTRO, SEM… ENFRAQUECER.
“Quando se trata de dieta, é tudo sobre viver dentro dos limites que você definiu para si mesmo. Esses limites são determinados por suas metas. Meu objetivo é muito nobre e meus limites tem que ser bem apertados. Dieta é moderação, restrição. Em outras palavras , trata-se de viver sem. Sem sorvetes, pizza, os hambúrgueres, frango frito ou bolo. E isso, meus amigos, é uma porcaria, mas no final, não é tão ruim. Sim, há momentos em que você só quer desistir, mas você descobre um caminho. A verdadeira tortura quando você está em dieta é perder os músculos. Não importa o que você faz, não importa como você faz, quando você está em dieta e ainda faz cardio, você vai perder um pouco dos músculos que ganhou trabalhando arduamente. Como eu faço dieta sem encolher? Isso é o que me destrói. Veja, o fisiculturismo está cheio de ironias. Quando você está em dieta, você está menor, mas você realmente parece maior. Você olha o seu melhor, mas você se sente um nada. Este jogo é tudo mental. Não nos enganamos sobre isso. Você precisar afirmar a mente, a vontade. Viver sem, eu posso lidar. Mas existem algumas coisas que tenho que viver com elas. Necessidades: Primeiro, um refrigerador para a minha comida quando estou fora. Em segundo lugar, um microondas – Eu praticamente faço tudo o que eu posso no microondas. Torna tudo rápido e fácil, porque não quero passar mais tempo na preparação dos alimentos que tenho que fazer. Em terceiro lugar, uma geladeira, para armazenar o bife, as verduras, ovos, minha soda diet. Em quarto lugar, os meus suplementos. Quatro coisas que você vai sempre encontrar em abundância no meu lugar. O bodybuilding é uma profissão difícil, fazer isso todos os dias. Estou comendo alimentos que não tem gosto bom. E eu estou comendo é seis vezes por dia a cada dia. E eu ainda nem sequer falei ainda da academia, o cardio. Toda essa dedicação e sacrifício pra que? Então posso ficar grande? Então, eu posso ver o meu melhor em uma noite do ano, em pé sob as luzes brilhantes? Por que tenho de aturar um monte de coisa: Aspecto. Olhares. Insolência. Constantes perguntas. Quem quer ser tratado como um cidadão de segunda classe, com alguns desajustes sociais ou como uma aberração genética? Na minha opinião, acho que o monstro Frankenstein… Eu vejo as pessoas com esse olhar em seus olhos, medo, aversão, repugnância. Vale à pena? Sim, cada vez. Tenho que fazer o que eu sei que nasci para fazer. Portanto, se os aldeões vêm chamando com suas lanternas, que assim seja. Saco, eu tenho os fósforos. Vamos iniciar um maldito incêndio.”
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:03 am

A jornada - Frank McGrath Jornada-03-1


MEDO, ÓDIO, REPUGNÂNCIA

Corra, esconda-se! Ele caminha entre nós…
“Medo misturado com repugnância. Quando estou fora, no mundo, é isso o que vejo refletido nos olhos dos outros quando eles passam por mim. Eles só vêem um grande otário, uma nojenta aberração da natureza, um ego enlouquecedor. Eles muitas vezes param e olham. Mas você quer saber? Eles realmente não podem me ver. Enquanto eles vêem uma aberração, uma abominação, estou invisível.”
É mais fácil ignorar do que entender.
“Isso acontece muitas vezes, o fato de me olhar no espelho para ter a certeza de que eu ainda estou lá. Não, eu não sou uma sombra. Eu não sou invisível. No espelho, vejo pele, osso, músculo, tendão. Vejo o potencial, a genética do meu velho. Mas também há o medo. Medo misturado com a dúvida. Paro e me pergunto se eu posso carregar o peso esmagador das minhas expectativas.”
Fomos programados para temer o desconhecido, para afastar.
“Apenas três semanas em quinze e eu estou aqui à procura de sinais de progresso. Depois de todos os sacrifícios, as primeiras manhãs, as refeições, o que está diante de mim, é um homem lutando por algo mais. Por trás do medo e da dúvida, um fogo queima com determinação. Sim, eu vejo um homem inseguro do que está lá fora. Mas isso não vai me tirar da jogada.”
MEDO
“Então, na noite passada eu estou andando na rua e este cara que está a cerca de 20 metros, quando olha e me enxerga, rapidamente cruza para o outro lado da rua, como um invejoso. A pior parte é que ele fingiu que não me viu. Como se eu não tivesse visto. Saco, eu estou apenas andando… Eu tenho um lugar para ir, como você. Esta calçada é ampla o suficiente para todos nós. Mas isso não importa. É esta mesma porcaria todos os dias. Nunca ter de esperar por uma garçonete porque ela tem medo de abordar você? Sempre tem alguém encolhido quando você quer fazer uma simples pergunta? Já ocorreu de pessoas te verem e olharem nervosamente, agindo como se não existisse? Bem-vindo ao meu mundo. Estou aqui, mas eles não me vêem. Eles não querem me ver. Na sociedade, eu sou pequeno. Isto é o que faz temer. O medo do desconhecido, medo do que é diferente. Mas você sabe o que realmente me faz diferente? O pior é que não é o meu tamanho. Fora daqui, a única coisa que meu tamanho representa é o meu peso… Não, o que me faz diferente é o meu desejo de fazer alguma coisa a mim mesmo.”

ÓDIO
“Vou ao supermercado local a cada semana. É como um trabalho e eu vou no mesmo dia, na mesma hora. As pessoas que trabalham lá todas me conhecem. Eles são como meus colegas de trabalho. Todos dizem olá e eu faço sinal com a cabeça. Mesmo a garota nova, a que me perguntou sobre os ovos, acena para mim agora quando ela me vê… Sim, sou um “cliente regular”. Evidentemente, há pessoas na loja que não me conhecem. Sua reação para mim é sempre boa para um riso. Cara, algumas de suas expressões realmente não tem preço. Pegue na semana passada, por exemplo. O clima tem sido frio, então eu estou usando uma roupa de treino suada. Peguei um dos carrinhos e comecei a fazer a minha maneira, passando nos quatro corredores, aqueles que sei de cor. Então, no primeiro, estou prestes a virar uma esquina, esta pequena velhinha vem atirando para fora o seu carrinho do nada e os nossos carros quase são atingidos. Ela olha para cima e está prestes a dizer algo, mas quando ela me vê, estou a ver isso… Essa expressão que eu tenho visto milhares de vezes antes. Ódio. O que começa com surpresa e, em seguida, choque e, em seguida, ódio. Ela não pode controlar. Acontece automaticamente. Ela não me conhece, mas eu posso ver o intenso desagrado em seu rosto. Então o que vai fazer? É irônico, eu estou em um esporte onde estou sendo julgado pela forma como me olham. Estes juízes examinam cada detalhe, cada centímetro, cada pose, em um caminho crítico. Me apresentar a estes juízes é uma necessidade, e voluntária. No supermercado, porém, também há um julgamento, uma sentença. Mas é completamente diferente…”

REPUGNÂNCIA
“A academia. Sim, é a minha casa longe de casa. Conheço cada centímetro da academia, o lugar de cada aparelho. Alguns dizem que é um lixo de lugar. Buracos no teto, urina no chão do banheiro. Definitivamente, não é um lugar para colocar uma data. Não. Tem caráter. Familiar? Sim. Todo mundo me conhece lá. É família, uma verdadeira fraternidade. Mas, às vezes, estou na estrada e preciso treinar em outro local. Estas outras academias, eu não conheço tão bem. Não é exatamente o lugar ideal para mim, mas ei, mendigos não se pode exigir, entende o que quero dizer? Esta academia da cidade mais próxima – legal, limpa, um respeitável lugar. Bem, eles têm até 150 halteres e toda uma linha de esteiras e step. O ginásio tem uma dupla personalidade – você tem alguns sérios powerlifters lá e algumas regulares senhoras tentando perder peso. Sabe, o negócio é engraçado, mas cada vez que eu estou lá dentro, a maioria das senhoras me olha e enrugam seus narizes com repugnância. Agora é engraçada aquela emoção. Desgosto para um é o desejo de outro. Algumas senhoras amam o físico do fisiculturismo. Quem pode imaginar? Minha garota agora, ela é mais complexa. Eu a conheci em uma academia. Agora ela não ficou encantada pelo meu físico, mas ela também não estava desligada. Deve haver algo em mim… Sei que a diferença de uma pessoa pode se tornar um poder. Talvez isto seja o que atraiu a ela para mim. Talvez…
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:04 am

Semana 04
O PODER DE ALGUÉM
Existem dois tipos de pessoas neste mundo. Os noventa e nove e os primeiros.
“Os noventa e nove… É assim que eu os chamo. Noventa e nove de cem de pessoas não podem compreender o que eu faço. Eles não podem acreditar na minha dedicação a este grande esporte. Muitos nem sequer pensam que este é um esporte ou que tenho uma vida. Nunca deixe que os outros definam a sua vida para você. É isso que eu escolhi. Este é o caminho que eu tomei, com todos os buracos, solavancos e voltas. Os noventa e nove, eles não podem fazer o seu melhor, para subir um dia e estar entre os gigantes.”
Há aqueles que confiam na sorte, e aqueles que nãos sabem o significado da palavra.
“Eu não ganhei na loteria. Eu não tenho o bilhete premiado. Tudo o que tenho eu me quebrei para conseguir. A única coisa que foi entregue a mim foi a genética que meu pai passou. A partir dele, eu aprendi o valor de um trabalho ético e de um trabalho sujo. Aqueles que sempre querem ter mais, estão comigo. Somos poucos e temos de estar sobre o topo da montanha para sermos ouvidos. Quando o dia chegar, seremos ouvidos. É um convite a todos aqueles que sempre sonharam com algo maior.”
Há quem derrube os outros para ser alguém e quem apenas faz por si mesmo.
“Para aquele que se nega, eu digo: suas palavras vão cair sobre ouvidos surdos! Para aquele que duvida, tome suas dúvidas em outro lugar. Para os invejosos, não deseje o que vamos alcançar. Eu vou superar a mediocridade ferozmente, vou destruir a conformidade, por isso quando for cobrar, não deixarei um legado de arrependimento. Em cada um de nós cabe o poder de começar algo… Então, para aqueles de vocês lá fora, que podem ouvir, deixe-me dizer novamente, quem é você? Você vai permanecer comigo?”
Esquecer
“É assim que eu me sinto nos últimos dias. Não sei porque. Meus treinos são chatos. Nenhuma energia. Meu apetite está arruinado. Nem quero passar um bom tempo com a minha namorada. Seu aniversário está perto e eu não posso estar preparado até lá. Suponho que não posso reclamar. A maioria dos dias são uma saco. Em um dia bom, me sinto inspirado. É como se você estivesse em uma missão distante, mas você se sente como 100 dólares. Quando você rola para fora da cama e olha para fora, onde havia nuvens escuras de tempestade de dúvida e cansaço, você não vê nada, mas o céu azul e o sol sorrindo para você. Tudo cai a sua maneira. Encontrar vinte na calçada. Dirigir pela rua e ver que todas as luzes estão verdes. Bater novos recordes em cada levantamento. Sim, isso que é vida boa. Uma grande parte de mim deseja todos os dias ser assim… O resto de mim sabe que não pode ser. Veja, eu não quero uma vida boa… Não agora. Eu tenho muito trabalho a fazer. A vida boa pode destruir você. A vida boa deixa você manso. A vida boa enche os ouvidos com uma doce música que faz você esquecer… Esquecer a sua missão, quem você é, o que interessa. Cara, depois de um tempo, tudo o que você quer é ouvir essa maldita música. E essa música afoga tudo, incluindo a voz em sua cabeça. A maioria das pessoas vão através da sua vida, adormecendo, preferindo ouvir a música, para eles mesmos falarem, para tudo, mas essa voz… Eles perdem o seu caminho. Tenho sorte – a maioria dos dias, aquela voz dentro da minha cabeça está gemendo como uma maldita sirene. É tão forte que me mantém até a noite, me mantém honesto. Ela não me deixa esquecer. Mas quando eu passo muitos dias bons, um após o outro, eu tampo meus ouvidos e arregaço minhas mangas. Eu levanto o martelo e começo a martelar. Afinal, sem aquela voz, eu não seria quem eu sou… Quem eu posso ser. Isso é importante… Não se esqueça. Não se afogue na música. Ouça a sua voz… Ela diz alguma coisa.”

LEMBRAR
Esqueça a vida boa. Não é tão difícil como parece, especialmente quando você só obtém um sabor de vez em quando. Agora, se fosse um bom filé mignon todas as semanas, em seguida seria difícil desistir. Dias de vinho e rosas? Dane-se, para mim isso é como lixo. Então o quê? Estou habituado. Relembrando, agora é outra história. Para o fisiculturista que vive neste planeta, nos faz lembrar quem somos. Como fisiculturista, tenho que lembrar… Lembrar de onde vim, quem eu sou e o que realmente importa. Não posso esquecer nunca o que está atrás de mim ou… Todos aqueles que vieram antes de mim e escreveram seu nome… Todos os dias de sangue e tripas que eu derramei por este esporte. Todas as coisas que me definem… Olha, eu acredito que sem memória não há desejo. Sabendo o que eu tinha, sabendo que não é o bastante, que eu quero mais – que é o coração do meu esforço. Sem memória, não pode também haver história. Sei das minhas raízes, de onde eu venho. Eu sei onde estou nesta jornada. História… Sim, estou planejando fazer história também.
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:04 am

MEU VELHO
“O meu velho, ele foi um mineiro na sua juventude. Ele trabalhava com suas mãos. Quando criança, lembro dele voltar para casa, ficar em pé na entrada da porta, a poeira das minas cobrindo cada centímetro dele, da cabeça aos pés. Sempre que eu fiz algo certo, algo que ele aprovava, ele colocava a mão no meu ombro. Eu me lembro como ele tinha as mãos pesadas e ásperas – as mãos cheias de calos e bolhas e ele tinha que trabalhar com isso, todos os dias, só para colocar comida na mesa. Ele era um grande, poderoso homem – maior do que a vida. Ele era também um homem de família e um pilar da comunidade. Quando ele não estava passando um tempo com a gente, ele ia ajudar a construir campos de beisebol para as crianças ou era voluntário para qualquer outra coisa. Então, por que estou pensando em tudo isso? Ontem, eu tive que treinar em um lixo de academia, um porão cheio de equipamentos velhos enferrujados. Não tinha tudo que eu precisava, mas eu fiz o meu treino. Cara, o cheiro da terra e do concreto, da poeira e do mofo, me levou para trás mais de uma década, quando eu tive a minha primeira experiência com ferro… Um sabor que não fui capaz de deixar sair da minha boca desde então. Foi quando eu encontrei um peso enterrado em um canto do porão, embaixo de umas caixas. Era como se os pesos me chamassem, de alguma maneira eu sabia que estava destinado para eles. Lembro dele descendo as escadas, noite após incontáveis noites, no escuro para chegar ao trabalho, e eu pensei que ele usava um elevador para descer no profundo trabalho sob toneladas de terra. Durante o dia, ele trabalhava com ferro. A noite, ele trabalhava com um outro tipo de minério de ferro, o mesmo tipo que eu segurei em minhas mãos como um jovem garoto de catorze anos. O meu velho, ele trabalhou como um touro para colocar comida na mesa, tanto que ele fez com orgulho. Veja, meu pai sabia quem ele era, sabia o seu lugar no mundo. Ele foi enterrado, teve seus pés firmemente plantados na terra. Ela lhe deu força. Eu? Agora mesmo eu não sei quem eu sou. Eu olho no espelho e vejo um estranho olhando por trás de mim com os olhos furados. Eu não sou um… Eu sou nada… Estou sem direção… Procurando pelo caminho de casa. Viver em uma sociedade que não pode compreender o que eu faço ou o que eu quero passar, pode me fazer duvidar de mim mesmo. Sou o herói ou o monstro? Mas hoje, como estou explodindo através deste treino, posso sentir a sua mão no meu ombro e, sim, a claridade volta. Lembro de como comecei neste jogo. Depois que eu terminar, quando eu sair fora, não há mina, não há campo de beisebol, não há um porão do meu passado – só a decadente cidade em torno de mim que eu chamo de casa e a memória do ferro. Eu não vou esquecer… Ei velho, como eu seguro o ferro em minhas mãos, como eu saio atrás da sua sombra, quero dizer que eu não estaria aqui se não fosse por você. Também quero dizer quem eu sou. Eu sou um homem… Eu sou um fisiculturista “… Eu sou seu filho.”
A jornada - Frank McGrath 25


Última edição por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:11 am, editado 1 vez(es)
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:04 am

Semana 05
EU ANDO NA LINHA

É um desafio traçado na areia…
“O bodybuilding é uma linha traçada na areia – ele bate na sua cara, desafia você. Aos 14, quando eu descobri os pesos no porão, eu soube que havia cruzado essa linha, sabia que não haveria mais volta… Isso é para sempre.”
É a menor distância entre dois pontos…
“A maneira mais rápida entre aqui e ali, hoje e amanhã, é uma linha reta. Todos os dias são tantas distrações que ficam no caminho, correm o risco de me levar fora do curso. Tenho que ficar no caminho certo.”
É um equilíbrio na corda bamba...
“Na minha vida, eu ando numa corda bamba. O ar é fino aqui em cima e um pequeno passo errado significa que eu vou cair no chão – sem uma rede de segurança. Necessidades e desejos? Sim, é difícil manter o equilíbrio sempre, ficar focado.”
É separada a razão da loucura...
“É uma linha muito fina entre os dois… As pessoas pensam que eu sou louco fazendo o que eu faço. Sim, não estão errados. Esta busca é uma descida até a loucura. Eu tenho estado sobre esta descida por um tempo e eu não posso parar. Ainda não…”
É mais abundante do que água...
“Quando eu olho para as minhas mãos, eu vejo o meu velho. Minhas mãos, como as dele, foram feitas para trabalhar. Mas isso é mais do que a genética que ele me passou. Nos dias em que me sinto como se tivesse sendo enforcado, eu o vejo e me mantenho forte”.
É uma discussão entrelaçada em sua vida...
“Como um garoto, eu conhecia todos os bodybuilders pelo coração – os rostos, as suas estatísticas. Veja esta máquina? Arnold, ele próprio utilizou. Sabe como isso parece? Eletricidade. Este grande esporte tem uma longa linha… Eu sou parte dela.
Estou me arrastando...
“Farinha de Aveia, ovos brancos, batata doce e bife. Quatro alimentos, 24 / 7… Cara, a monotonia está me matando. Eu disse monotonia? Dane-se, suponho que eu disse. Persistência é a palavra que nós bodybuilders utilizamos em vez de monotonia. Uma é nobre enquanto a outra é como um maldito laço em torno do seu pescoço. Bodybuilding é perspectiva – este esporte tem tudo a ver com como você aborda as coisas. Se eu olhar os alimentos que como, os alimentos que tenho para comer e associar com monotonia, eu estou tornando as coisas mais difíceis para mim. Mas se eu vejo isto como um degrau para algo nobre, como parte de um projeto maior, então isso torna as coisas mais fáceis de engolir. Entendeu? É por isso que eu posso dizer que o que faço hoje não é diferente do que o que eu fazia quando eu era um garoto. Deixe-me partilhar uma coisa com você… Quando eu tinha 14 anos e estava apenas começando, eu senti o gosto do ferro. Cara, foi como sentir o sangue na minha boca de um tapa na cara. Eu fui desafiado. Eu era ousado. Eu estava nisso para toda a vida. Mas, como um adolescente, eu tinha o mesmo coração, a mesma paixão pelo esporte que tenho agora. O fogo que queima dentro de mim não foi menos brilhante, não foi menos quente de como é hoje. O que estou querendo dizer? Ontem, eu treinei braço. Nada espetacular. O meu treino de braço é o mesmo que venho fazendo a algum tempo. Então, você poderia dizer que a minha rotina no treino de braço tem sido assim, rotina. Mas novamente, pense nisso em termos inatingíveis. Pense nisso em termos de consistência. Isso combinado com desejo e coração, e sempre empurrando você… Então, para todos estes garotos que vem me perguntar como eu tenho este grande físico, o que eu como exatamente, os exercícios que eu uso… No fim das contas isso não significa nada. O que vale é encontrar o que funciona para você, e depois aplicar com consistência e diligência. Jogue no coração uma verdadeira paixão, e você terá a forma de um campeão.”


Prevendo o tempo...
“Alguns dias o mar está calmo. Outros dias, uma tempestade. A questão é, qual é a previsão? Quando você for fazer dieta, treinar, fazer cárdio, treinar, cárdio, treinar, cárdio, etc… Confie em mim, as previsões sobre mudanças são como uma moeda de 10 centavos. Essa é a piada da minha garota. Quando ela me vê ela pergunta, “Então, qual é a previsão de hoje?” Minha pobre menina tem de aturar um monte de besteira. E seu aniversário é em breve… Cara, eu não posso esquecer… Então, ontem eu treinei perna. Estava no meio de um conjunto esgotante de hacks quando este jovem rapaz aparece e começa a falar, parecendo todo amigável – a mesma besteira de sempre. Número um, eu não gosto de ser distraído quando eu estou no meio de um treino. Número dois, ele divaga sobre qual é o segredo para ficar grande… Bem, você pode imaginar o que está passando através da minha mente. Nuvens escuras de tempestade se misturam no horizonte… Minha visão borra… O sangue sobe a cabeça… Ei garoto, você quer o maldito segredo? Quero espancar ele pela razão número um e número dois, mas me distancio e largo os pesos. Custe o que custar, certo? Este rapaz não sabe nada. Então, depois que eu fizer o meu treino, depois que eu der uma pausa para respirar e limpar minha testa, vou falar com ele. Digo, “Não há nenhum segredo.” Ele parece surpreso. Cara, esse olhar nunca envelhece. O que este rapaz não sabe é que toda a informação que ele precisa já está lá fora, nesta academia e em milhares de academias em todo o país. O problema é que a verdade não é glamurosa… O segredo é chato, e esse é o maldito problema. O segredo é a consistência, a disciplina, comer e treinar de uma maneira correta todos os dias. Os dias, as semanas… Você tem o que é preciso para viver uma vida onde cada dia é duro assim como todos os outros? O que você tem que descobrir é a forma de como obter resultados através disso, tratar cada refeição, cada repetição como se fosse a sua última… Sim, como já disse, você tem que ser capaz de transformar a palavra “monotonia” em “persistência”. Se você pode fazer isso, então você vai entender o segredo… O céu vai abrir e você terá clareza da visão.
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:05 am

Ser diferente...
“Eu nem sempre fui tão grande. Eu era uma criança acima do peso e não apenas, mas muito baixo. Mesmo assim, eu era sempre forte. Meu velho ficava orgulhoso da minha força. Força era algo que ele valorizava. Portanto, muito antes de eu começar seriamente na musculação, o que importava para mim era ser forte. Quando eu entrei fundo no jogo, eu queria ser um forte fisiculturista. Eu queria ser capaz de mover montanhas. Mas toda a força no mundo não ajudou quando eu era jovem, porque eu estava intimidado por ser diferente, por estar acima do peso e ser baixo. Isso passou, mas a linha que me conecta quando eu era um garoto de onze anos de idade para quem eu sou hoje permanece intacta. A verdade é que eu ainda sinto as vezes que sou um gordo e baixo garoto. Claro, eu não fico mais intimidado, mas você quer saber uma coisa? Ainda tenho que evitar brigas de vez em quando. Caras vem até mim me desafiando para uma luta. Isso aconteceu mais de uma vez – mas nunca na academia. Mais uma vez, é porque eu sou diferente… Desta vez, eu não estou sendo apontado porque eu sou gordo e baixo, mas porque eu sou grande e forte. Os caras me vêem como o grande cachorro – eles querem testar sua impetuosidade em mim. Que Saco? É uma coisa para defender a si próprio, a sua honra, o seu país ou sua família… Mas lutar apenas para ver que tipo de homem você é? Por ego? Isso é apenas… louco. Além disso, você não entra para esse esporte para lutar ou para empurrar as pessoas ao seu redor. Você faz isso porque você quer. Eu não tenho tempo para todas as outras bobagens… E ultimamente, os dias parecem que estão ficando cada vez menores… Eu não posso me distrair por todas as besteiras que a vida trás para mim. Tenho que ficar no ponto e me manter concentrado. Ainda tenho bastante problema com a minha namorada…”

A jornada - Frank McGrath Frank_mcgrath_entrevista


Última edição por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:11 am, editado 1 vez(es)
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:05 am

Semana 06
SER EGOÍSTA

VOCÊ ESTÁ SOZINHO…
“Estou despedaçado através de uma dúzia de relacionamentos… Bodybuilding é um esporte solitário. Estou sozinho quando eu como, quando eu treino e quando eu finalmente estou sob as luzes brilhantes. É sexta-feira à noite e eu estou aqui com a minha garota, mas eu estou sozinho. Ela está chateada e não vai falar. Não posso dizer que eu não a culpo. Ela sabia que ele isso era esperado…”
VOCÊ É EGOÍSTA…
“Sempre que me relaciono com uma garota, deixo que ela saiba ao que está chegando – egoísmo… Por que desperdiçar o seu tempo ou o meu? Eu digo a elas, mas isso nunca funciona. Elas não acham que vai ser tão ruim se propor a tudo isso. Talvez elas pensem que podem me mudar. Sim, como o que vai acontecer…”
VOCÊ TEM QUE FAZER.
“Estar neste grande esporte – ser notável neste esporte – exige egoísmo… É exigido de você, assim como é um sacrifício. Mas esse egoísmo não é para lucro pessoal ou prazer, mas sim realização pessoal. Há algo que eu preciso fazer para conseguir e nada vai ficar entre eu e meu objetivo… Nada.”
O MUNDO REAL
“Tenho ficado com esta garota há um mês e meio… Ela está trabalhando duro, se propondo a aceitar todas as minhas chatices… posso dizer que eu não tenha sido capaz de retribuir o favor, mas estou a doze semanas da competição. Então, no mês passado, pouco depois que começamos a nos encontrar, ela me disse que seu aniversário estava chegando. Ela queria sair para jantar e tomar vinho, algo romântico. As mulheres gostam dessas coisas, certo? Sim, eu queria fazer algo legal para ela, um presente… É uma longa curta história, que hoje é sexta e é o seu aniversário… Sim cara, eu prometi que eu levaria ela para jantar fora e para dançar. Ela estava pronta as nove, nesse vestido assassino, preto e curto. Eu? Acabei de voltar da academia e estou num fedor. Sim, estou perdido. Estou tendo pequenos problemas com a minha dieta… Algumas partes do meu corpo não estão legais… eu tenho que resolver isso logo. Portanto, estou muito mais estressado do que o normal. E ainda tive que cuidar de alguns negócios que estavam na minha agenda. Tive que treinar no final do dia e ainda tenho que fazer a minha refeição. Estou tão cansado, eu só quero dormir… Ela está chateada e gritando, mas eu já não a escuto… Eu estou apenas muito cansado… Essa jornada que eu estou é como uma força da natureza, um tornado. É um caminho destrutivo ameaçando varrer qualquer coisa e tudo a sua volta… Quem chega é envolvido e é jogado na confusão. Cara, a maioria dos dias eu não sei aonde vou, ou se mesmo vou com meus próprios pés. Então eu apenas posso imaginar que deve ser igual para inocentes espectadores em torno de mim… Pegue minha namorada como exemplo, seus planos, suas expectativas sobre esta noite, o seu aniversário, foram afastados… Sem jantar, sem sair para dançar. Na verdade, eu ofereci pagar o jantar, mas não iria levá-la. “Vá se danar, seu imbecil. Estava certo que você iria me levar”, disse ela. Sim, essa garota tem um fogo… Eu gosto disso. Mas deixando tudo isso de lado, aqui está ela, chateada, mas permanecendo ao meu lado. Deixe eu lhe dizer algo, neste jogo, você pode ir longe por si mesmo. Mas se tiver o apoio da sua família, dos seus amigos e da sua namorada, é um pouco mais fácil. E confiem em mim, esta menina é ouro puro. Você sempre encontra uma garota que vai aturar todas as besteiras que os bodybuilders fazem, e você se apega a ela. Agora, talvez um pequeno romance vai por as coisas de volta aos trilhos, não sei. O que eu sei é que tenho esta garota na minha cama e ela é fogo… Agora, eu só quero dormir e esta cama que eu tenho é muito pequena… Ainda assim, se eu vou ser honesto, devo admitir isto, as vezes é muito grande, quando ela não está aqui… Enfim, eu tenho um longo dia pela frente amanhã. Eu vou misturar as coisas um pouco, o meu treino e a minha dieta, ver o que acontece…”

EM ALGUM LUGAR LÁ FORA
“Em algum lugar lá fora alguém está desfrutando de uma xícara de café quente, lendo o jornal da manhã calmamente e comendo um sonho. Em algum lugar lá fora, outro dia já começou. O céu está claro, o ar está carregado com o perfume das flores, e os pássaros estão cantando nas árvores. Em algum lugar lá fora, as pessoas estão em um novo começo. Nada do tipo para mim. Estou no caminho que leva ao meu destino… O cenário passa tão rapidamente, tudo parece o mesmo. Os dias passam não diferente de outros dias, mas não posso reclamar. Isso é o que eu escolhi para mim e não existiria outra maneira. Estou aqui me olhando no espelho, como faço todas as manhãs. Esta manhã, o cara no espelho olha e grita: “Que diabos você está olhando seu monte de lixo? Comece a trabalhar… “Sim, outro maldito sábado de manhã. Outro belo dia em Jersey… Então as coisas estão bem comigo e com minha garota. Pelo menos eu acho que estão… ela ficou até mais tarde do que eu queria, mas você tem que fazer o que tem que fazer. Ela está no chuveiro e sai em quinze minutos. Caramba, este banheiro é muito pequeno, e eu pensei que minha cama era muito pequena. Eu ia fazer o seu café da manhã, mas 1: eu não tenho muito mais tempo, e 2: eu não tenho alimentos que poderia fazer para ela, a menos que ela queira alguns ovos com farinha de aveia. Eu tenho um dia inteiro pela frente também. Tenho que arrumar algumas coisas. Dieta, treino, e eu tenho que começar a pensar sobre a minha rotina também. Rotina de poses… Essa é a parte sobre competição que eu odeio. Escolher música. Descobrir uma rotina… Enfim, embora eu ainda tenha 12 semanas, eu não estou tão avançado quanto eu gostaria. Acima de tudo, as minhas pernas e costas estão “em atraso”. Eu vou ter que fazer algumas mudanças. Iniciando na próxima semana, eu vou misturar as coisas um pouco, mudar a minha dieta. Estou pensando em mudar de academia também… Acho que é hora de seguir em frente… Decisões, decisões, decisões...”
A jornada - Frank McGrath Images?q=tbn:ANd9GcRwL6les7g1rmt3W7zLBNT8-gBu2LD7vb2PekO9P8UpUf3H1Blorf2Pc13F


Última edição por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:12 am, editado 1 vez(es)
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:05 am

Semana 07
140 – 76 – 74
Afundando em números…
“Números. Alguns dias eu sinto como se estivesse afundando neles. Tudo que faço tem a ver com números… Os pesos que eu empilho, um após o outro. Os minutos que eu conto, um por um, durante o cardio. As calorias eu não somo mais porque eu sei fazer as minhas refeições pela vista. Todas as repetições ao longo dos dias, semanas, anos. Os mesmos furiosos números vermelhos que brilham em mim todas as manhãs, dizendo para eu levantar. Depois há um grupo específico de números – 140 – 76 – 74.”
Com os números as pessoas definem objetivos…
“Embora eles não sejam oficiais, como os números de uma carteira de motorista ou qualquer outro documento de identidade, esses números, de cima para baixo, me identificam… E isso pode ser um problema. Estes simples seis dígitos são a razão das pessoas me encararem, resmungando sob as suas respirações, fazerem tantas perguntas ignorantes toda hora que eu vou ao seu mundo exterior. Veja bem, com os números, as pessoas querem me objetivar como gostariam de estar na coluna principal de um jornal. Mas em vez de desejo, estou falando de desgosto.”
Você não pode ser tão facilmente definido…
“Estes números eu tenho conseguido com grande custo e sacrifício. Então, deixe eles me odiar. Deixe-os tentarem me definir. Eu sei quem eu sou, e no que eu vou me tornar. Enquanto eu sento aqui, inchado devido o treino sofrido que fiz, eu me sinto maior do que 140 – 76 – 74… Maior que a vida. Embora eu tenha conseguido muito em sete semanas, isso não muda uma coisa… Eu ainda tenho muitas semanas a percorrer. Então, vou puxar o meu boné para baixo, e prosseguir, trabalhar no anonimato.”
Você quer ser um super herói?
“Como um excesso de 7 anos de idade, eu devorei gibis, gastei até o último centavo neles. Enquanto outras crianças gastavam suas moedas em doces, eu estava atento em cada palavra e a cada cena de cada página. Eu guardava eles embaixo da minha cama e lia a noite com uma lanterna. Cara, todas as façanhas, os físicos incríveis, a luta titânica. Eu queria, como milhões de outras crianças, ter sólidos músculos explodindo em cada parte do corpo. Sim, esse era o grande sonho… O meu herói? Isso é fácil… “A Coisa”. Meus amigos liam Superman e Batman, mas para mim, “A Coisa” foi o herói mais legal do mundo. Ele era mau. Eu sabia tudo sobre ele, memorizei todos os detalhes – o nome dele, onde ele cresceu, a história de sua vida… O que eu gostava sobre ele é que ele era real… Bem, tão real quanto qualquer livro de super herói em quadrinhos pode ser. Ele não viveu uma vida glamorosa. Ele não era uma pessoa da alta sociedade no seu tempo livre, quando não estava salvando o mundo. Este cara era bruto. E ele não era o herói mais forte, mas ele se fez através da sua enorme força de vontade e um espírito indomável. Engraçado é que, de certa forma, me tornei o herói do gibi que eu admirava como um garoto – e deixe eu dizer, as coisas nem sempre são bonitas. Quando ando na rua, as pessoas olham para mim como se eu tivesse quatro dedos em cada mão, quatro dedos em cada pé, e feito de pedra laranja. Veja, eu não posso tirar o meu físico, pendurá-lo no armário, e voltar a usar em qualquer outro dia. Eu não posso saborear um Martini ou dançar o cha-cha-chá. Levo este corpo onde eu vou. É uma parte de mim. Ser um fisiculturista significa ser um 24 / 7. Em qualquer temperatura, com chuva ou sol. O fato é, não há nada melhor. Então você quer ser um herói? Eles não existem, cara. Mas se você quiser ser o seu próprio herói, se você quiser se tornar um fisiculturista, então você deve pensar em um longo e árduo caminho. Mas se você está pronto, então junte-se a mim porque os pesos estão esperando…”

Quebrar a corrente
“Quando eu comecei com os treinos, eu era jovem e exaltado demais. Logo me tornei acorrentado aos números, preso com eles. Veja, eu tenho anotações na minha agenda de treinamento de cada levantamento, cada repetição, cada peso. Depois de um tempo, isso se tornou uma compulsão. Eu me pesava a cada maldita noite, como um relógio, e pela manhã, media o meu bíceps para ver o quanto eles tinham crescido (sim, como se eles fossem crescer algo suficiente para ver em 24 horas). Fui mais fundo neste jogo, estava ficando sério, eu comecei pesar as minhas refeições e calcular cada caloria e cada grama de cada alimento. Não foi uma refeição que foi registrada. Levaram anos para eu fugir desta prisão. Mas posso dizer que a liberdade foi esclarecedora… Hoje minhas ferramentas são muito mais simples, e muito mais efetivas. Em lugar das medidas eu uso um espelho. Em vez de papel e caneta, quero contar com a experiência. Não tenho que ficar de olho em nada. Consigo ver onde eu estou, em qualquer dia, pela forma como eu me vejo no espelho e pela forma como me sinto. Se tem um conselho que posso dar para quem procura entrar neste jogo, é este – não fique preso em números. Os números podem confundir você, governar sua vida. As correntes nos mantém para baixo por muito tempo irmãos. Através de conhecimentos e experiências, livre-se e saboreie a liberdade.”

Não há nada errado com isso...
“Ser “normal”, você obtém todas as vantagens… Pode esmagar o que quiser com a sua impunidade – um sujo hambúrguer, queijo, fritas, pizza… Cara, o que eu não daria… Enfim, com os alimentos em sua barriga, você da uma olhada na camisa nas suas costas… Você comprou há dois meses e ela já está fora de moda. Então você vai para a loja mais próxima pegar o último modelo, o mais quente em tamanho P, M, ou G. Sim, ser normal significa ter escolhas e ser capaz de fazê-las. Não me interpretem mal – só porque eu vivo do jeito que eu escolhi, não pensem por um segundo que tenho algo de extraordinário. Estou vendo TV… eu ando nas ruas… Eu vou a shoppings… eu tenho uma garota. Com tudo o que há lá fora, quem não seria tentado a desfrutar de um pouco de excesso de vez em quando? Quando você não pode ter alguma coisa, você quer ainda mais. Confie em mim, eu sei… O meu problema é, eu não tenho as mesmas escolhas. Você já se perguntou por que razão a maioria bodybuilders se vestem da mesma forma – isso aqueles que não podem se dar ao luxo de ter roupas sob medida? Você acha que é porque todos nós temos um manual oficial do bodybuilding que nos diz qual é a porcaria do uniforme? Outra coisa, você tem 76 cm de cintura? Então poderá escolher entre dezenas de jeans. Agora eu também tenho 76 cm de cintura, mas… não posso vestir aquelas pernas sob os meus quadríceps de 74 cm. Então quando compro calças tenho que comprar com uma super cintura, e apertar firmemente ela com um cinto. Casacos… Você tem um peito de 97 cm, por isso se você estiver indo para um casamento, você pode escolher um smoking. Eu? Quantas lojas de smoking tem em estoque um casaco com 140 cm de peito? Coloque tudo junto, 140 cm, 76 cm, 74 cm e você pode entender o quão duro é ir a uma loja de roupas… Pelo menos eu sempre sei o que eu vou vestir de manhã: XXXL. Simplicidade… Não há nada de errado com isso. Bodybuilding é mais do que apenas levantar peso. Bodybuilding é viver.”

Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:05 am

BODYBUILDING É VIDA
Outro dia…
“Outra repetição, outra pegada. Outra série, outro tijolo. Outro grupo, outra carga de concreto… Um dia de trabalho honesto para um dia de salário honesto. Aqui não há distrações. Não é como lá fora, com pessoas ignorantes e suas perguntas como “o fisiculturismo é um esporte?”. As primeiras cem vezes eu respondi. Eu parei de responder à muito tempo atrás…”
O que uma palavra pode significar?
“Esporte. O que mesmo a palavra significa? Sim, é uma palavra que é facilmente definida… Ainda assim, isso não significa muito. Deixe-me perguntar, como você descreveria o que você faz em apenas uma palavra, toda uma maneira de viver com apenas 7 letras? Eu não posso. O que eu faço é mais do que uma palavra. O que eu faço não pode ser restrito as limitações básicas da linguagem. Quem eu sou não pode ser tão facilmente definido.”
Bodybuilding é mais do que uma palavra
“Musculação é um esporte que não termina no palco… Isso é apenas uma volta. O bodybuilding é mais, é como respirar ou viver. É transcendente. Não é apenas uma palavra, mas um símbolo, um processo de se tornar – um constante esforço para melhorar a si próprio. Esta grande jornada que estou, todos nós podemos fazer parte dela, ela tem um começo, mas não tem fim. Enquanto eu estou aqui sentado, no meio do meu trabalho, eu sei que sou apenas um pequeno ponto, mas cada um dirige a minha determinação para a semente mais profunda do meu ser.
Sede
“O fisiculturismo é um esporte? Irmão, se um dia você for fundo neste jogo, estará pronto para esta pergunta. Quando comecei neste esporte eu não sabia a resposta. Mais tarde, eu sabia, e eu respondi. Em algum momento, deixei de responder completamente. Quem é que se importa? Ainda assim, uma parte de mim pode olhar para a questão racionalmente. O que a palavra “esporte” significa? Se você verificar, verá um grande número de diferentes definições. Uma definição é um cara que pode aceitar a vida dura e pode lidar com todo tipo de coisa. De certa forma me faz lembrar Tantalo, que roubou os manjares divinos e serviu a carne em uma festa. Como castigo foi lançado ao Tártaro, onde num vale abundante em vegetação e água, foi sentenciado a não poder saciar sua fome e sede. Ao se aproximar da água esta escoava e ao tentar colher os frutos das árvores, os ramos se moviam pra longe de seu alcance pela força do vento. Sim, esta é apenas uma história, um mito, uma alegoria, mas há uma semente fria de verdade aqui. Como Tantalo, nós bodybuilders temos que aturar um monte de besteiras. Mas indo direto ao ponto, eu sei o que significa sentir fome constantemente, além de uma sede insaciável. O bodybuilding para mim, como todos os grandes esportes, como todas as grandes vidas, é um processo, uma interminável jornada de auto-aperfeiçoamento e melhoria. Incorporado a esse processo é um conceito básico de competição. Não necessariamente a competição no palco. A cada dia que passa na academia, cada série, cada gota de suor que cai da minha testa, eu estou competindo. E se você estiver fazendo certo, você está competindo contra o pior, doente e “filho da mãe” que existe… Você mesmo”.

Transformação
“Esporte. A palavra pode significar que alguém toma uma surra e volta para mais. Ela define o guerreiro do ferro. Mas também pode significar um organismo que, através da transformação, passa por uma mudança anormal. Transformação? Anormal? Mudança? Cara, estas são palavras das quais eu sei alguma coisa, são palavras que posso dizer a respeito. A maioria das pessoas quer combinar, querem ser amadas. Elas não querem ser anormais. Grandes pensadores, filósofos e artistas, eles não dão a mínima ao que os outros pensam. Eles estão empenhados em uma busca da verdade. Sim, existe uma verdade no bodybuilding… Verdade e uma espécie de pureza que não tenho encontrado em nenhum outro lugar. Quando você mente lá, sob o peso, há a verdade absoluta revelando um momento – posso levantar esse peso? Posso apertar e fazer mais uma repetição? Irmãos, não há nada parecido… O silêncio, a pacífica solitude de uma academia vazia. Então o fisiculturismo é um esporte? Sim… É o esporte de mutantes. Nós caminhamos entre vós.”
“Uma palavra. Tantos significados. E não é apenas a palavra esporte. A mesma coisa pode ser dito para a palavra fisiculturismo. Veja, este é o problema quando se trata de discutir sobre se fisiculturismo é ou não um esporte. Há muitas definições, muitos pontos de vista. É uma longa e curta história, e não é o bastante falar do que importa. Ação. Suje suas mãos. Falar é fácil. Você quer saber o que o esporte significa para mim? Muitas coisas… É nunca deixar o que eu acho que posso fazer chegar na forma do que eu vou fazer. Derramando sangue e tripas para esse esporte que amo. Estar vinculado a ele e nunca deixá-lo.
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:06 am

Semana 09
LIMITADO PELO SANGUE
Nus, Fracos, Livres…
“Todos nós nascemos na mesma: sem restrições pelos limites dos preconceitos. Eventualmente, nos submetemos às leis. Há aquelas que temos que abraçar a fim de sermos livres… As leis do ferro e da disciplina. Depois há aquelas que temos de desafiar pela mesma liberdade… As leis da conformidade e dos fracos de espírito. O peso destas correntes é tão sutil, nos esquecemos delas. Esta é a forma como estamos algemados, domesticados. A normalidade se torna a regra e nós ficamos conformados com os limites. Como um cão, no final de sua coleira e guia, nos movemos, mas nunca com a nossa própria vontade.”
É hora de desafiar, é hora de subir…
“Vou testar a minha impetuosidade, puxar duramente contra estas restrições. Não vou deixar o pensamento convencional me dominar. Como estou aqui, a corrente vai se enterrar profundamente em minha carne, o peso vai me puxar para baixo. Mas vou lutar. Eu vou desafiar a gravidade. Se eu cair, vou levantar. Irmãos, a vida é curta e a cada minuto que passa, nos empurra para mais perto do fim. No tempo que eu tenho, estou vinculado a esta escolha de vida e ela a mim – essas palavras são o contrato que me liga a este esporte… Sobre ele, eu assinei o meu nome em sangue.”
O homem nasce livre...
“Mas irmãos, assim que nós entramos na sociedade as correntes aguardam… Elas estão por toda parte. Elas são invisíveis. E ficamos presos. Caímos em determinadas formas de pensar. Nós vemos o mundo da mesma maneira e não podemos vê-lo de outra forma. Este impacto nas nossas vidas diariamente e a soma deles acaba totalmente conosco. Então caímos em padrões estúpidos. Pegue o meu caminho até a academia, por exemplo – toda vez é o mesmo caminho… Tão habitual que eu provavelmente poderia contar o número de passos… Tão familiar que eu poderia andar no meu sono. E se eu fizer outra rota? A verdade é que não faria nenhum pouco de diferença. Mas cara, a questão é que isso se tornou previsível. O problema está logo ali: se eu fiz a mesma coisa todos os dias, eu falhei como um fisiculturista. Veja, há um mundo de diferença entre “persistência” e “repetição”. Um fisiculturista deve ser persistente, mas não repetitivo. Algumas semanas atrás eu mencionei que eu não estava “secando” tão rápido como eu queria. Se eu não me pergunto coisas, eu teria vacilado com a dieta até o fim. Mas eu sei que tinha que misturar as coisas. Então o que eu deveria fazer? Para começar, eu aumentei as minhas refeições. E também substituí algumas das refeições com carne por peito de frango. E para as restantes refeições com carne bovina, estou pedindo para o meu açougueiro moer. Como é que eu descobri o que fazer? Eu pedi para algum cara na academia? Eu contei as calorias e olhei a proporção de macro nutrientes? Nada disso. Eu apenas experimentei. Eu prestei atenção ao modo como me sentia… eu olhei para o espelho. Sabe o que? As coisas estão andando muito bem agora. Veja, as pessoas querem respostas simples. Querem fazer o que dizemos para fazer, querem se alimentar com a colher da verdade. A verdade? A verdade é que as respostas que você precisa, as respostas que você quer, não vai ser fácil chegar até elas. Não existem atalhos. Pergunte a alguém para te dizer quantos shakes de proteína você precisa ou quantos peitos de frango para comer, isso não vai tirar o seu árduo trabalho. Mais que isso, quando você pensa que encontrou a resposta, você não pode deixar passar a ser a resposta final. Você tem que constantemente desafiar o que você sabe. Agora, se apenas este calor já irá enfraquecê-lo…”

Minha crueldade
“Então, eu estou na academia e tudo o que posso pensar é na próxima refeição que tenho que comer. O quanto doente é isso? A minha comida… Poderia ser um mingau para todos, eu sei. E tem gosto ruim. A mesma velha punição todos os dias. Pelo menos é fácil de tomar mingau – não precisa mastigar. Agora tente comer 560 g de carne magra, várias vezes por dia… OK, você quer falar sobre o trabalho… Levantamento de pesos é como um passeio no parque, em comparação com isso. Então aqui está o que eu fiz… achei que era hora de uma nova receita. O quê, você não sabia que parte dos bodybuilders são chefs? Estamos sempre brincando com as novas formas de preparar a mesma coisa. Eu tinha um amigo que uma vez tentou misturar atum enlatado, claras de ovos e arroz em um liquidificador. Ele não foi muito longe. Cara, esse negócio estava errado. De qualquer forma, eu inventei esta receita por pura desesperada necessidade. Aqui está o que eu faço… eu tenho um local onde o açougueiro torna todos os meus lagartos (parte de carne bovina) em carne moída. Levo a minha velha e fiel frigideira e coloco uma fina camada de gordura-free de spray. Quando está quente, vou jogar em torno de 450 – 550 gramas de carne. Enquanto a carne cozinha, eu levo ao microondas inhame (batata doce). Quando está pronto, eu vou atirar na panela com a carne e misturar tudo junto. Deixe eu dizer como tudo isto parece… Nunca cozinhou carne gorda moída e colocou na geladeira? A gordura esfria e endurece. O resultado é pouco apetitoso para dizer ao menos. Bem, assim que a minha receita de lagarto moído com batata doce parece. Será que o gosto é melhor do que a aparência? Não… Mas comer é muito menos trabalhoso. Cara, como um fisiculturista, estou preso a minha comida… E comer? Comer assim é um saco, é um sofrimento esgotante.”

O estado da natureza do homem
“O estado da natureza é primitivo. Neste estado caótico, as leis são feitas de aço e as regras de ferro. Aqui, o modo que as coisas são feitas é desagradável, o trabalho é brutal, e o tiro para a glória é extremamente curto. Deixe-me dizer a você, eu tenho passado muitas manhãs difíceis neste lugar, sozinho, trabalhando duro, o barulho dos pesos… as dúvidas que me consomem. Este caminho que escolhi é bem cansativo… É cheio de sacrifícios e potenciais desperdiçados, e de destinos por cumprir. Mas embora esta jornada seja apenas minha, não estou sozinho. Junto a mim estão as memórias da minha juventude, o meu velho homem que sempre me colocou de volta ao caminho certo sempre que eu perdia o rumo, e todos aqueles que sempre me deram uma mão. Estado da natureza? Lutar contra a sua própria natureza? Dane-se. Apesar de este grande esporte ser solitário e embora nós podemos competir e lutar, nós estamos no fim das contas na mesma guerra. E irmãos, há muito que arruinar para ir além. Ouça, o acordo que liga cada um de nós a este esporte também nos une. E estas leis? Estas leis do ferro e aço forjam novas ligações entre nós. Elas são inquebráveis. Este é o estado do homem e é a nossa irmandade do ferro.
A jornada - Frank McGrath Frank+McGrath29


Última edição por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:12 am, editado 1 vez(es)
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:06 am

Semana 10

“ESTÁ OLHANDO PARA O QUE?”

Algumas pessoas querem apenas olhar…
Outras pessoas recebem cartões de saudação cheios de palavras agradáveis. Eu recebo olhares… De todos os tipos, durante o dia todo. É como viver em uma prisão. Diferentes olhares transportam diferentes sentimentos. Alguns são simpáticos. Outros não. Sempre que eu percebo um determinado olhar de um garoto novo no esporte, eu me lembro do passado, como eu costumava andar nesta academia, todas as manhãs. Cada vez, eu parava e olhava através do vidro que separava eu dos caras gigantes treinando com pesos incompreensíveis. Ficava intimidado, mas no fundo, eu sabia que eu pertencia a aquilo. Quando finalmente eu tive coragem de entrar, eu era o último da cadeia alimentar, olhando para cima.
É por isso que você está aqui?
Hoje, se eu pudesse olhar para trás e ver o meu rosto como sendo aquele jovem que caminhava na academia pela primeira vez, eu vou dizer o que eu vejo. Um pouco de medo misturado com algo maior. Fome… Um rosto queimando de desejo… Um garoto que tinha algo a provar e queria que todo o mundo soubesse. Nos anos entre aquele tempo e hoje eu aprendi algumas coisas. Em primeiro lugar, a única pessoa que você tem algo a provar é para si mesmo. Segundo, você pode ver a vida com o nariz pressionado contra o vidro, ou você pode balançar as portas abertas e entrar.
Respeito
As portas fazem barulho e abrem. Você dá um passo para dentro e faz um balanço… Tudo está como deveria estar. Você respira fundo… O ar é rançoso, azedo, familiar. Tal como vinagre e urina. Sim, você está em casa. Cara, você ainda tem seu próprio conjunto de chaves para o local. Aqui, não há tempo para besteiras. Não há lugar para colocar seus pés para cima. É calmo – nada além do som de metal com metal. Há muito trabalho a ser feito. Você visualiza como vão ser os próximos setenta minutos. Brutalidade, hostilidade, raiva. Seu pulso acelera. O sangue começa a ferver. É hora de bater o martelo… Então, a pergunta que eu tenho é simples irmãos. Você se sente desta forma toda e cada vez que você entra na academia? Será o cheiro do medo e da ansiedade misturado com a excitação que corre através do seu sangue? É assim para mim. Sou um garoto na loja de doces e tudo é grátis…
Na minha academia, eu sou o maior cara lá. Este fato não significa nada para mim ou para qualquer um dos freqüentadores regulares. Não importa se algum deles está competindo ou não, aqui há uma irmandade baseada no respeito mútuo. Quando eu entro neste local, ninguém se importa. Se eles me vêem, eles vão me dar uma palavra de motivação, um olhar de reconhecimento, um rápido aceno com a cabeça, e voltam para os seus treinos. Não encaram. Sem expectativas. Entre nós existe uma relação de respeito que somente homens que respeitam o ferro tem. Quando você está encostado em uma pilha de pesos, você não é nada diferente do cara ao seu lado. Cara, você poderia ser Elvis Presley para todos os pesos – eles não dariam a mínima para quem você é. Eles vão tentar enterrá-lo exatamente da mesma forma. Negócio é negócio e prazer é prazer. Mas nesta loja de doces, negócio é prazer e prazer vem de cuidar dos negócios.

VOCÊ Não é um lixo
Nós somos vaidosos. Nós somos egocêntricos. Nós gastamos muito tempo olhando para nós mesmos, olhando em espelhos. Aqueles que acreditam nisso não sabem nada. Eles certamente não tem problema quando nos encaram como se fôssemos uma monstruosidade grotesca. Isso acontece em todo lugar que nós vamos… Vocês sabem do que estou falando irmãos. O mesmo acontece nas academias. Algumas semanas atrás eu disse que estava pensando em mudar de academia. No final, eu não fiz isso. Embora o meu lugar fixo não tenha tudo de que eu preciso agora, é como a minha casa. Existe uma história lá. Então eu decidi treinar em outra academia apenas algumas vezes por semana. Quando estou entrando pelas portas desta academia para treinar lá pela primeira vez, eu juro, foi como se todos tivessem parado o que estavam fazendo para olhar para mim. Recebi alguns olhares que reconheci na hora – respeito e temor. Então, pelo canto do olho eu vi ele… Uma grande figura no alto. Eu o vejo contrair o seu peito, expandir seus ombros. Um grande cara, sem dúvida. Ele lentamente vira para mim e me encara… Percebo que seu olhar é furioso, eu sei muito bem… “Você não é um filho da mãe”, ele me disse com o seu olhar duro. Cara, eu pensei comigo mesmo. Este vai ser um longo dia…
Suporte
Sim, esse show tem a sua cota de altos e baixos – mas os altos são provavelmente mais elevados e os baixos são inferiores, com certeza. Para obter algo através deste passeio pela montanha russa chamada fisiculturismo, você precisa de uma sólida estrutura de apoio. Família… Amigos… Uma garota… Cara, todas estas coisas contribuem para o seu sucesso. Elas mantêm você amarrado, não o deixam desistir. Mas há também um lance que desempenha um grande papel. Para mim, o suporte extra vem com meu tio Keg. Deixe-me dizer sobre tio Keg… Toda semana, eu vou pagar o meu respeito e ele devolve o favor ajudando a me manter nesta jornada. Mas saiba que o tio Keg não é meu tio. Ele é o meu açougueiro e em todos os locais chamam ele assim porque ele trata todos que caminham na sua loja como se fossem seus sobrinhos favoritos. O tio Keg é um cara para cima. Ele sempre separa os melhores cortes para mim… Ainda me lembro da primeira vez que eu estive na sua loja. O tio Keg tinha uma forma de dispensar o óbvio como uma máquina de chicletes dispensa o doce. Ele olhou para mim e sem perder uma batida, disse claramente, “Filho, você vai precisar de muito bife”. Sem perguntas, sem encarar, sem julgamentos. Simples, fácil e descomplicado. Ele me trata como um outro membro da sua extensa família.
Agora eu gostaria de poder dizer o mesmo sobre esta nova academia que comecei… Na primeira semana que eu estava lá, uma mulher veio até mim enquanto eu estava fazendo stiff, e deixou cair um pedaço de papel em meus pés com o seu número de telefone. Isso não acontece na minha outra academia, foi a primeira coisa que pensei. Quando se trata da academia e do meu quarto de dormir, eu não brinco. Não tenho tempo, mesmo que eu quisesse… Mesmo assim, este pequeno incidente me fez lembrar porque eu costumava usar adereços para manter os outros a uma distância no ginásio – um boné velho puxado para baixo nos meus olhos… Fones de ouvido com a música muito alta… Quando eu era mais jovem, eu até tentei usar óculos no treino para evitar fazer contato visual. Você faria isso, mas é como um convite aberto para as pessoas caminhar até você no meio do treino e fazer um monte de perguntas. Mas você aprende realmente rápido a desviar o olhar quando você chega a este nível. Não me interpretem mal… Eu não tenho problema de falar com pessoas depois que termino o treino, que estou pronto, mas nunca venha falar comigo quando estou no meio de uma série. Esta é a regra # 1. Parece que o cara que eu falei outro dia não quis estender a mim esta simples cortesia. Para isso, eu tenho a regra # 2…
A jornada - Frank McGrath 13


Última edição por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:13 am, editado 1 vez(es)
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:06 am

Semana 11
FUNDO DEMAIS
O oceano vai engolir você…
É tarde e eu estou fora de foco. Eu me sinto à deriva no mar, perdido no meu penoso merecimento. Então, de repente sou atingido como um farol na noite. No meio da minha repetição, na metade da minha série, esse sentimento familiar retorna… A dor. Ela me lava, onda após onda. Meus sentidos rodam. Sim, eu posso largar tudo, sair fora desta aflição. Em vez disso, ranjo os dentes, respiro fundo, e sigo em frente. Quando as coisas ficam difíceis, muitos têm seu porto seguro. Eu não. Recebo com prazer a dor – que me mantém honesto. Ela é a minha base. Irmãos, este mar é grande e bruto. Embora a dor possa vir de você, nunca deixe ultrapassar você.

Mantenha-se firme
Quando eu era apenas um garoto acima do peso começando neste esporte, minha mãe disse, “Mantenha-se firme, filho.” Ela pensava que eu era muito jovem, e que os suplementos eram prejudiciais a saúde. Ela pensava que o bodybuilding não era um esporte respeitável, muito menos uma profissão…
Quando alguns dos meus amigos começaram a ver o meu nível de dedicação, todos os sacrifícios que eu tive que fazer, eles disseram, “Mantenha-se firme, cara.” Talvez eu não tenha passado tempo bastante fazendo festa com eles, ficando bêbado todo fim de semana. Talvez eles não fossem meus amigos…
Quando as minhas namoradas descobriam como eu levava tudo tão a sério no bodybuilding, elas diziam, “Mantenha-se firme, baby.” Elas pensavam que tinham que competir contra o bodybuilding para ter a minha atenção. Elas não tinham. Mas eu não pude convencê-las de qualquer forma…
Quando as pessoas olham para mim na rua, elas dizem, “Mantenha-se firme, estranho.” Elas não podem entender porque eu quero ser grande… Porque eu não posso comer nem ao menos uma fatia de bolo quando estou em dieta… Porque eu estava fazendo isso comigo mesmo. Elas não conseguem entender isso agora, e elas nunca vão conseguir…
Quando eu sonhei em competir pela primeira vez um dia e resolvi passar o meu jogo para o próximo nível, meu parceiro de treino disse, “Mantenha-se firme, Cara.” Ele não pode me acompanhar. Talvez ele não quisesse ir…
Depois que eu comecei a levantar peso eu esqueci o porquê que eu entrei neste jogo, e eu disse a mim mesmo, “Mantenha-se firme.” Eu não comecei a erguer pesos para ir até aqueles que me intimidavam na escola… Não foi para ser legal ou popular… E não foi para conquistar mulheres.
Por que eu faço isso então? Eu faço isso para mim. Eu faço isso porque eu nasci para isso… Está no meu sangue. Esse esporte me motiva, dá sentido a minha vida. Ouçam irmãos, esta coisa não é para os fracos de coração. Poucos podem fazer o que isso exige. Nós estamos entre aqueles poucos. Quando você se sentir como se estivesse se afogando, recupere o fôlego. Quando você quiser parar, aguente firme. Quando você sentir que não pode seguir com a dieta mais um dia, quando é difícil se manter fora do sofá, levante-se. As pessoas vão querer por você pra baixo. A tentação vai tentar segurar você de volta. Obstáculos vão estar no seu caminho. Que caia um raio através deles.
Esta grande jornada começa com um passo… E essa etapa não é nada mais do que aprender a se manter firme…

A Sirene
A água pinga da torneira do banheiro… Outra gota no mar. Escuto a distância um grupo de carros, uma sirene… Um solitário, mas confortante som. É outra noite em Jersey e a minha namorada está roncando baixinho no outro quarto. A porcaria da parede poderia vir abaixo e ela iria continuar dormindo. Sim, quando ela dorme, ela parece que está a mil milhas de distância. Eu continuo ligado desde hoje cedo. De modo geral, um bom dia… Mesmo com os alimentos que tenho que comer, está tudo certo. Eu estou acordado então pensei que em usar o meu tempo com algo bom, algo que ajude a atingir meus objetivos. Fazendo isso eu penso em como a vida joga com você como se fosse uma bola de baseball. Quando você está vivendo uma vida “limpa”, sem cometer nenhum excesso, os restos que tornam a vida suportável para a maioria das pessoas, um monte de tentação vem ao seu caminho… Meninas na minha nova academia me dão os seus números de telefone… Hot Donuts (sonho, rosca) no restaurante no fim da rua. Cara, quando eu era jovem, eu fiz a minha parte com certas liberdades, experimentei muita coisa. Era uma distração, uma diversão. Embora eu esteja mais velho, mais sábio, ainda há dias que eu quero jogar as anilhas do chão no teto. Escute, se você estiver planejando estar neste jogo por muito tempo, deixe seu ego na porta. Você não está na academia para impressionar outras pessoas, mas para melhorar a si mesmo. Confie em mim, eu sei como é difícil resistir as tentações. Você só tem que tampar os seus ouvidos com cera, e ignorar. Escute o seu corpo. Ele vai guiá-lo… Em algumas horas, o meu alarme, que é a sirene que me mantém sempre alerta, vai soar. Quando minha garota se levantar, eu terei partido… Vou trabalhar para que eu esteja cada vez um passo mais perto de casa.

Você e eu
“Você e eu, nós vamos ter problemas…” Esta voz surge no meu ouvido quando eu estou terminando uma série. Estou cansado e com fome, mas não vou deixar que esse filho da mãe fique sob a minha pele, que me tire do meu jogo… Eu não hesito, não dou meia volta. Em vez disso, vou apertar nas minhas últimas repetições e erguer o peso. É hora de recuperar o fôlego e estar pronto para a próxima série. Mas naquele breve momento antes de envolver minhas mãos naquela barra enferrujada, sou novamente aquele garoto de 11 anos de idade correndo pela sua vida…
A infância é supostamente a lembrança de bons tempos… Felizes memórias, felizes dias. Para mim, era pura miséria. Veja, como aquele garoto, eu era frágil e pequeno. Eu era um simples alvo. Mesmo assim, eu era apontado por ser diferente. E eu nunca vou esquecer essas palavras, “Você e eu, nós vamos ter problemas.” Embora em desvantagem, me destacava, mesmo quando o líder desta turma de intimidadores exigia o meu dinheiro do almoço. O resto do tempo escolar passou depressa e eu logo encontrei uma maneira para caçar esses provocadores que estavam no meu calcanhar como cães selvagens. O que você pode saber sobre ser capturado, sobre lutar em vão? Sobre voltar para casa mancando, esfolado e sangrando, e então limpar a sujeira do seu rosto? O que você sabe de tudo isso, todos os dias?
Vou te dizer o que eu sei… Que, em um dia quente de verão, o calor aumenta rapidamente a partir do asfalto. E assim tão rapidamente, uma chuva passageira pode lavar tudo. Estas memórias, como as malditas injustiças da juventude, vão passar também. O que eu aprendi é isso – eu sou quem eu sou devido a essas experiências, e isso pode ser bom, ruim ou indiferente. Eu aprendi que eu podia tomar uma surra, lamber minhas feridas, e manter a cabeça erguida. Onde há vontade, há um caminho. E o que sei hoje é que os meus pés estão plantados no chão e eu estou determinado. Você e eu, apesar de estarmos em diferentes caminhos, nós somos apenas um. Não sou mais aquele garoto gordo e baixinho de onze anos de idade, mas um homem esforçado. A única diferença são os anos que estão entre nós e estas memórias que tenho colecionado. Por último, mas não menos importante, eu aprendi que o respeito é difícil de conseguir e ainda mais difícil de se manter… E isso é maravilhoso quando é dado não pelos amigos, mas por inimigos
A jornada - Frank McGrath Frank


Última edição por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:13 am, editado 1 vez(es)
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:06 am

Semana 12
“ESPELHO, ESPELHO…”
Quem é você?
“Quem sou eu? Depende de quem pergunta. Alguns vêem nada mais do que um monstro sem opinião, um egoísta, uma aberração da natureza a ser temida e a ter pena. Outros vêem um homem guiado por um propósito singular. Quem sou eu? Quando eu paro em baixo dessa luz quente e olho no espelho, vejo um monstro e um homem. Mas eu também vejo um intimidado garoto gordo. Um filho olhando para o seu velho. Um jovem em busca de um caminho. Eu achei aquele caminho e logo saberei o quanto distante eu fui e em quem eu me tornarei.”
Ferramentas do negócio
Um mineiro confia na sua pá e picareta. Um carpinteiro tem o seu martelo e pregos. Um mecânico conta com as suas chaves. São as ferramentas do negócio, irmãos… Ferramentas do negócio. Neste ramo de negócio, não é diferente. Eu faço um trabalho manual com essas mãos. Cara, eu tenho cicatrizes e calos para provar. As ferramentas do meu negócio são básicas. Eu guardo tudo nesta mochila velha e desbotada. Vê este cinto? Tenho usado ele nos últimos 10 anos… Uma década do meu suor, sangue e trabalho duro está escrita neste pedaço de couro. Estas botas – meu velho… Com elas não há nada que eu não possa superar. Este espelho atrás de mim? Não está lá para olhar. É outra ferramenta essencial, mas não está lá para satisfazer um ego insaciável. Narcisismo… Este esporte tem o bastante disso. Não precisa de mais. O espelho está ali para criticar justamente quando eu penso que já cheguei ao topo. Ele fala a verdade e nunca hesita. É o meu juiz e júri. Escute, neste negócio, neste grande trabalho, você precisa martelar até o último prego… Tem que destruir as pedras e esculpir profundamente até que possa chegar ao puro minério debaixo da terra… Porque quando tudo estiver pronto e for a sua hora de brilhar, quando o veredicto estiver próximo, você sabe que tudo isto terá valido a pena. Levante. Sinta-se orgulhoso. Trabalhe…
“Quem é o justo…”
Entre eles todos? Não sei. A sociedade tem as suas próprias idéias sobre a beleza e quando você não se encaixa nesse modelo, quando você não pode corresponder a estas expectativas, bem, então você está perdido. Eles certamente não vêem conformidade ou rotina. Cara, eles vêem o grotesco. Eu sou uma estaca redonda que eles querem ajustar a um buraco quadrado… Isso nunca vai acontecer. Não deixe que aconteça. Veja, eu tive esta visão de quem e o que eu vou ser… Um bodybuilder. Sim, isso mesmo, um bodybuilder. Há algo bonito sobre esta luta, a disciplina, a pureza do meu desejo. Escute, eu vejo o bodybuilder como um artista. Em vez de mármore, ele trabalha com músculos. Em vez de um cinzel (instrumento utilizado na confecção de esculturas), ele trabalha com ferro. Quando eu olho no espelho, não é por causa da vaidade – é porque estou aperfeiçoando algo que não está além de mim, mas é uma parte de mim. Eu sou o artista. Eu sou o mármore. Esta busca irá me aperfeiçoar.

Reflexão
A habilidade de pensar, a razão e a reflexão… Obviamente é isso que nos separa dos animais. No entanto, a linha de separação é fina, e estamos sempre na margem, prontos para cair no precipício. Na academia esta linha pode ter milhas de largura. É irônico que, naquilo que deveria ser o nosso elemento natural, há muita civilidade… Nós hesitamos. Nós somos tímidos. Temos sido domesticados. Nós não pressionamos o ferro por impulso. Nós estamos com medo da dor. Na natureza, mesmo os animais aprendem rapidamente a evitar as coisas que vão causar dor. Como bodybuilders, devemos desaprender muito, e ao mesmo tempo, aprender a não temer o nosso lado animal. Mesmo assim nunca poderemos esquecer o que nos torna humanos. Devemos perceber que estamos sendo nós mesmos, que escolhemos suportar a dor de livre vontade. Cada criatura fará o que for preciso para sobreviver, mas você cortaria fora a sua própria perna se fosse capturado em uma armadilha para que pudesse viver? Poderia suportar isso? Para mim, o bodybuilding é assim. Você tem que estar disposto a fazer o que for preciso… Não apenas para viver ou para conseguir comida – mas para sobreviver, para prosperar, ter sucesso e progredir. Ouça, quando se trata de lidar com as pessoas, muitas vezes temos de ser civil. Civilidade, respeito, e todas as outras besteiras, essa é a cola que mantém a sociedade unida. Mas quando se trata do nosso relacionamento dentro da sociedade de ferro, lembrem irmãos, deixe isso tudo de fora… Ou você só poderia acabar do lado errado da lei da natureza. Reflita sobre isso.
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:07 am

Semana 13

EMBAIXO DA MINHA PELE
É uma coceira que você não pode coçar...
“Eu coçaria cada centímetro quadrado de mim que estivesse sangrando e machucado, mas isto não teria utilidade… Esta coceira enlouquecedora é como se estivesse com larvas embaixo da pele, está sempre ali, fora de alcance. Nós somos todos iguais. Nós somos feitos de sangue e osso. A diferença fica por baixo. A razão pela qual me mantenho aqui é porque há muito tempo este grande esforço, este estilo de vida, está sob a minha pele… E desde então, deixei de me coçar, arranhando furiosamente cada libra sangrenta.”
Você não teria de nenhuma outra maneira...
“Embora o caminho seja difícil como o dia é longo, eu não negociaria por um segundo. A força que me permite aguentar não vem do que você vê – o tamanho, veias grossas como cordas, pele tão fina que mostram as fibras. Não, vai mais fundo. Para chegar a este caminho você tem que cortar fora todas as camadas de dúvida e distração até que a faca chegue ao osso. Os segundos estão passando. Encontre esta coceira… Coce até não sobrar nada.”

Pele apertada
Quando você veste uma camiseta apertada, como se sente? Parece ótimo, é isso. Quando você está inchado do treino, é como se a sua pele fosse aquela camisa… Você sente como se o músculo estivesse explodindo fora da sua pele. É uma das vantagens de estar neste jogo. Outra é que você vai parecer melhor do que 99,9% das pessoas ao seu redor. Então você deseja mostrar… Não importa se somos grandes ou pequenos, todos nós fazemos. Mostrar o que a dedicação e o sacrifício podem produzir. Sim, não há nada errado com isso de vez em quando. Mas deve existir equilíbrio entre orgulho e vaidade. Para mim, o bodybuilding não é como ligar o som e aumentar o volume. Não se trata de acelerar o motor do seu carro no sinal vermelho. É sobre entender o trabalho feito e desfrutar do que você faz. Alguns dizem que os meus valores são da velha escola, de outra década. Eu digo, e daí? Meus valores são tão antigos como o físico ideal que eu tenho em minha mente, ou os métodos de treinamento que eu utilizo. O carro que dirijo, a música que ouço, a comida que eu como – é tudo o básico. Ferido… Como uma emoção… Como raiva. No meu elemento, este lugar, é também como eu sou conhecido. Simplesmente como fúria.

Casca-grossa
Se você está começando neste esporte, deixe-me dar alguns conselhos, e não vai te custar um centavo… Você precisará ser casca-grossa. Casca-grossa para repelir a ignorância, as críticas, as dúvidas, o medo, as perguntas idiotas sobre o porquê estamos neste jogo e o que é necessário para permanecer… “Vamos, o que há de errado com uma fatia de bolo. Uma fatia não vai matar você.” Cara, eu posso ir sem parar. Depois de um tempo – às vezes semanas, meses ou talvez até mesmo anos – a sua pele começa a aumentar em proporção à sua dedicação. Sua pele, o seu compromisso com a musculação, torna-se algo como uma camada de armadura. No meu nível, nesta fase do jogo, não dou a mínima para o que os outros pensam dos meus sonhos. Sim, você pode dizer que a minha pele é feita de titânio. Como eu chego mais perto do show, eu só tenho que estar rasgado. Maldição. Como é a ironia? Neste esporte, é a espessura da pele que você precisará se você deseja que ela seja fina

Esfolando um gato
Tentativa e erro… Educado adivinhar… Chame como quiser, a experimentação é a espinha dorsal do bodybuilding. Em tempos de satisfação imediata, as pessoas querem resultados do dia para a noite. Elas querem informações que já foram mastigadas e até digeridas. Elas querem algo em “tamanho único” para todas as respostas. Existe o rápido e em seguida o correto, os atalhos não vão resolver. Na musculação, há duas coisas que exigem um grande esforço – o trabalho físico e o tempo que leva para fazer as coisas direito. É preciso ter disciplina para suportar ambos. Para demonstrar o meu ponto de vista, vamos fazer um teste simples… Pegue um pedaço de papel em branco e aponte seu lápis. Agora rabisque todo esse papel, sem levantar o lápis fora da folha. O que você fez? Dois pontos – um início e um fim – e uma longa, confusa, linha ininterrupta entre os dois. Agora a maioria verá estes rabiscos como uma dor… Por que rabiscar quando você pode simplesmente traçar uma linha reta entre os dois pontos? É mais rápido certo? Veja por que irmãos… Há muitas maneiras de chegar até onde você quer ir – algumas estradas são mais rápidas do que outras e algumas são mais longas. Mas uma parte do jogo é chegar ao fim e a outra é como você vai chegar lá. Visto de outra forma, neste jogo que chamamos de bodybuilding, o que você vê quando chega lá, define você. Mas como você chega lá… Cara, isso refina você.
A jornada - Frank McGrath Frank-mcgrath-forearm
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:07 am

Semana 14
“EMPURRAR”

É assim que tudo começa...
“Tudo começa com um simples empurrão – um rápido “chute na bunda” e nós saímos por nossa conta, chutando e gritando. Mas não para por aí. Depois, nós seremos empurrados de volta, empurrados para baixo – com os punhos e com as palavras… Você não chegará muito longe. Você está perdendo o seu tempo. Não seja diferente – apenas se adapte. Sim, o mundo vai nos dizer quem devemos ser nunca parando de perguntar quem somos atualmente. Quem somos nós?”
E é assim que vai terminar…
“Nós somos desajeitados e sonhadores. Embora ainda faltem 4 semanas, durante as últimas 12 eu estive empurrando também. Empurrando para o meu próprio limite. Empurrando através de obstáculos, esmagando através de paredes. Empurrando a todos aqueles que disseram que eu falharia. Porque quando o empurrão vem ao seu encontro, você tem que ouvir a sua voz… E se alguém disser diferente, diga para se danar.”
“PUXAR”
Empurrar. Puxar… Duas forças fundamentais da natureza. A física é como uma metáfora para a vida e para esse esporte que chamamos de bodybuilding. Todos os movimentos básicos podem ser feitos com o “empurrar” e “puxar”. Porém não posso esperar que eu vá construir um físico apenas com movimentos de puxar. Na vida é o mesmo, amigos… Você não pode ter atração sem repelir – os dois caminham lado a lado. Pegue minha namorada, por exemplo. Foi uma química imediata no momento que a conheci. Eu sabia que ela era tinha algo de especial e eu faço o meu melhor para tratá-la como uma dama que ela é. Agora pegue o Big Red, por outro lado. Sim, chamo-o assim devido aos seus cabelos e cavanhaque vermelhos. Esse é o cara que para o meu treino para me dizer besteiras na academia… Outro bobo enganado. Mas as coisas entre nós estão legais agora. Quando a merda bate no ventilador, você tem que estar disposto a intensificar e se tornar um homem melhor. Veja, a atração é a parte mais fácil – é como nadar a favor da corrente de um rio, é o caminho da menor resistência. Mas a resistência é a carne e as batatas do nosso esporte… Isso é o que constrói o nosso físico. Ao mesmo tempo, indo contra os grãos, desafiando a si mesmo, aceitar todos aqueles que não compartilham o seu ponto de vista… Bem irmãos, esse tipo de resistência desenvolve caráter… E não é menos importante.
“RESISTÊNCIA.”
Um amigo meu é professor de matemática, ele vê o mundo em sua volta em termos de números. Não há nada de errado com isso, eu digo. Algumas vezes, ele me vê treinando… Cara, a academia é uma aula de um tipo diferente. Enfim, ele não sabe nada sobre forma física ou como fazer um agachamento. Ele fala em fórmulas, como “F = ma”. Agora, neste mundo, não vejo as coisas em termos de massa ou de aceleração, mas companheiros, eu sei alguma coisa sobre força. Eu sei como é sentir uma barra gelada nas mãos. Quando estou no meio de uma série, eu não estou pensando em gravidade, mas posso sentir o que está acontecendo, a resistência contra mim. Esse é o tipo de resistência que estou interessado. Isso é o que está acontecendo aqui. Veja, a academia é um lugar original. É onde você deixa seus instintos assumir. É também o local onde alguns “lifters” estão à procura de uma identidade, o seu lugar na hierarquia. Quem é o alfa? Quem se importa? Este cara, o Big Red pensa que ele é… Bem, outro dia, ele estava fazendo supino com o seu parceiro… Não consigo lembrar o seu nome, talvez Chops, ou algo assim. O tempo todo ele está olhando para mim, como se fosse dizer, “Ei, eu aposto que não pode fazer isso.” Como se eu me importasse. No meio da minha série, de repente ouvi um grito alto, como quando alguém pisa no rabo de um gato. Já ouvi aquele som antes, então eu larguei o peso e virei para ver Big Red sob o peso, com a cara pálida como cinza. A barra estava parada em seu peito e os seus parceiros estavam freneticamente tentando tirar. Em dois passos eu estava lá para ajudar Big Red subir o peso. Isso aconteceu outro dia… Hoje, quando eu entro na academia, Big Red não diz uma palavra para mim. Em silêncio, já diz tudo o que tinha que dizer. Irmãos, na vida você irá encontrar resistência. O importante é saber quando lutar contra ela e quando devemos deixá-la escorregar ao nosso redor, como uma rocha isolada no meio de um rio.
“ATRITO.”
Cara, um monte de coisas na vida leva ao caminho errado. Eu disse “a vida”? Quem eu estou enganando? Às vezes, o que se passa na academia nos leva a esse caminho – como aqueles assuntos com o Big Red. Atrito desnecessário. Adicione dieta à mistura, e eu sou um barril de dinamite esperando para explodir… E vai piorar quando eu iniciar experiências com controle da ingestão de água. Nestes dias, estou me sentindo para baixo. Eu só quero ficar sozinho… Quero dizer a todos que se danem, que vão embora. Mas você sabe o quê? É fácil pegar o caminho para baixo. É fácil dizer “dane-se” para quem quer que fique no seu caminho. Mas há uma maneira diferente de tomar o caminho para cima, ter disciplina na academia e fora dela para sair da lama que estamos atolados. Ainda ontem, Big Red caminhou até mim, pedindo uma ajuda – foi educado e tudo mais. Fiquei mais que feliz em dar uma mão. Aquele momento me fez lembrar que quando duas coisas estão em atrito, os resultados nem sempre são ruins. Afinal, para criar uma faísca, para criar fogo, você precisa de um pouco de atrito
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:08 am

Semana 15
“FAZENDO TROCO”
Colocando tudo junto, uma moeda por vez…
“Então, ontem eu estava no supermercado comprando algumas coisas e percebi quando o atendente me deu o troco. Eu guardei no bolso. Nós fazemos um monte de coisas sem pensar duas vezes e em todo o lado, o troco começa acumular – nos carros, nos bolsos dos casacos, onde for. Por que se preocupar com um pouco de moedas – elas não valem muito, certo? Errado. Ouçam irmãos… Todo aquele troco se transformará em centenas. Isso pode não ser da noite para o dia, mas no final das contas vai acontecer. Você só tem que ter paciência. Na academia, é assim que o tempo se abre diante de mim. Afinal, o tempo é tudo o que eu tenho… É hora de fazer as coisas direito, é hora de tomar o meu tempo. Aqui, eu não vou dar o troco errado à mim mesmo, são tempos de “cutting”, não posso permitir isso com apenas 3 semanas para o fim. Aqui, a mudança que estou fazendo vem em denominações de 45s… E a cada peso levantado, a cada última série, o meu jarro de mudança está se enchendo lentamente.
“EMPILHAR…”
Como pratos em um bar, as desculpas têm uma maneira de se empilhar. Desculpas… Cara, você precisa delas como você precisa de uma terceira bola no seu saco. Mas elas estão sempre lá… “Pular o treino”, você ouve. O sol está brilhando. O vento está quente. O céu está tão azul, algo que você jamais viu. Sim, as desculpas podem vir assim, silenciosas como um sussurro. Mas eu penso em desculpas como papel higiênico. Veja, no momento que você precisar, parece que nada no mundo é mais importante. Mas assim que você usou uma desculpa, você não quer ter nada a ver com isto. Então puxe a descarga para isto descer… Não use uma desculpa para destruir a sua dedicação.
“PROSSEGUIR…”

Irmãos, todos nós temos prioridades diferentes. Nesta sociedade em que vivemos o sucesso é geralmente medido por coisas. Você é definido por aquilo que você pode comprar. Você é o que você come, mas não é sobre comida que estamos falando… É sobre o consumo de bens. Quem tem a maior casa? O melhor carro? Roupas caras? Como um fisiculturista, não tenho nada disso… Talvez seja por isso que os outros olham para baixo ao passarem por mim. Grande coisa… Mas isso corta nos dois sentidos, irmãos – como bodybuilders, talvez olhemos para baixo sobre eles também, acreditando que eles se preocupam mais com coisas superficiais, coisas externas em vez de si mesmos. Sabe o que importa? Nenhuma dessas questões. Se alguém quiser comprar um super carro esporte, e dai? Não é da minha conta. Mas a academia – agora sim é da minha conta, e acredite nisso, lá eu vejo frequentemente o mesmo tipo de coisa que eu vejo fora dela. Estou falando que quem está ligando para o garoto preocupado com sua roupa… Ou aquele outro que está sempre se comparando com o cara ao seu lado. Não estamos falando de carros ou relógios, mas sim de estatísticas e levantamentos… Eu, eu não tenho tempo para comparar notas. Eu não me importo se esta casa é tão boa como a casa ao lado. Tudo o que importa é, o que preciso trabalhar e como eu vou arrumar. E nas últimas quinze semanas, a única pessoa que eu estive acompanhando foi aquela que sempre está olhando de volta para mim na frente do espelho, aquela que não vai me dar um quilo sequer… Nenhum
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:08 am

Semana 16
SEDENTO
Como você difere o sonho do sonhador?
“Venho tendo sempre esta mesma visão… Nela, tem um aquário – isso me acalma. Vejo algo muito pequeno boiando na água, e quando olho de perto, sou eu… Estou no topo das ondas. Há água além de onde se pode enxergar, e eu não posso beber. Nenhuma gota. Sinto sal em minha boca. Sinto o gosto da cólera. Minha sede é tremenda e ela se enrosca em meu pescoço como uma corrente. O peso me puxa para baixo. Estou afundando… Eu luto, me esforço, chuto… Então de repente, eu sinto um frio familiar, a mão pesada de ferro. Eu me seguro e puxo a mim mesmo para fora disso tudo. Irmãos, este mundo é um vasto oceano, mas uma coisa permanece fixa, constante… Este ferro. Este chamado. Esta sede.”
“Estou gordo?”
“Estou gordo?” Essa, irmãos, é a pergunta de um milhão de dólares. Todos nós estamos aqui, cara a cara com este momento, este dilema. Estou na encruzilhada… Eu me viro para olhar para minha garota e penso no que vou dizer… Digo a ela a verdade? Minto? Evito perguntas? Minha mente está em branco. Parece que não passa uma semana sem que ela me pergunte a mesma coisa. Agora vejo de onde ela veio – como estou derramando gordura, sua insegurança está provavelmente vindo à tona. Esta é a vida com um fisiculturista. De qualquer forma vou para a opção três. O que tenho a perder? “Olhe no espelho,” digo a ela. “Os espelhos não mentem.” E ela sai do quarto esbravejando. É… Estou perdido. Vamos encarar isso, as pessoas têm relações engraçadas com os espelhos. Em provadores, em banheiros, em quartos, elas ficam estacionadas na frente do espelho como se estivessem em um drive-in. Estão encarando, conferindo cada centímetro de seus corpos. E essas mesmas pessoas julgam fisiculturistas de vaidosos. Droga de ironia. Enquanto fisiculturistas têm relações complicadas com espelhos, há uma razão para estarmos olhando. O espelho é uma ferramenta. O espelho é minha pior crítica. Ele não me enrola, não puxa meu saco, ou massageia meu ego. Ele mostra como é. Ele é implacável. Faltam apenas duas semanas… Estou tão perto, que posso sentir. Eu olho no espelho. Estou prestes a lhe fazer uma pergunta…
“DE PERNAS PRO AR”
Como você se mantém na liderança do campeonato? Como você se mantém à frente da curva, evita com que as ondas batam em sua cabeça? Não é fácil, irmãos, não é fácil… Duas semanas fora e eu estou empobrecido e dolorido. Minha cabeça está confusa, meu corpo está fraco, e meus membros desgastados. A dieta e o cardio estão me custando tudo isso. Em tempos como este, Eu cavo profundamente – Tenho de explorar minhas reservas, ainda resta algo de combustível no fundo do tanque. Em tempos como este, e todos temos de encarar, “você deve manter os pés no chão.” Não aceite nada de ninguém. Nada de distrações. Nada de reclamações. Nada de desculpas. Vou derrubar este desgraçado, antes que eu voe estrada a fora, desafundando todo o barulho e as porcarias insensíveis, acelerando rumo ao meu destino. Aumente a música, feche as janelas. É tempo de pisar nos metais. Sim, para destacar as pernas, você precisa estar com os pés no chão.
“DIA APÓS DIA…”
Hora após hora, minuto após minuto, segundo após segundo… O tempo passa, mas estou preso. É como se estivesse correndo sem parar em uma esteira, indo a lugar nenhum. É como se estivesse flutuando no oceano, dando braçadas sem sucesso… Seguro meu fôlego, esperando que algo aconteça. É aí que acordo… É, é tudo um sonho. Em meus sonhos recorrentes, há muita água – água por toda parte. Talvez seja porque estou mantendo meu sódio alto. Talvez seja porque estou bebendo muita água, aumentei a quantidade por conta desta seca inevitável… Droga, esta ferida, esta sede ardente, não é algo que vivo esperando. Quem sabe? De qualquer forma, quando estou acordado, não tenho tempo para ficar na água. Apenas tenho que me manter perdendo-a. Preciso manter as repetições no meu máximo, uma atrás da outra. Cada uma é um passo que leva mais perto… E eu estou tão perto agora.
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:08 am

Semana 17

“LIGANDO OS PONTOS…”
A ordem surge do caos...
“O pó esta em cada canto do meu quarto. Minha garota esta tão farta disso tudo, ela varrerá tudo. Eu não ligo de um jeito ou de outro – neste momento, o pó é minha menor preocupação. Como o pó, há um monte de trocados num jarro que tenho ao lado de minha porta. Quando tiver o bastante, vou usá-los para comprar o que precisar, mais comida por exemplo. É, é assim mesmo… Da desordem surge a ordem. Da ordem surge uma imagem clara. Me lembro de um jogo da minha infância, ligue os pontos. Você começa com nada, apenas um monte de pontos num papel, e quando você começa a ligá-los, surge algo. Quando você chega ao fim, você é recompensado com uma resposta, uma figura completa. Nos últimos quatro meses, eu venho habitando as sombras, no anonimato… E venho pacientemente conectando cada ponto, esperando para ver o que vai emergir.”
“CARNE”
O mundo está contra nós irmãos. De várias formas… Os olhares, os comentários, o desgosto… A dificuldade em achar roupas que sirvam… As escolhas que temos de fazer quando comemos. O mundo conspira contra nós irmãos. Em meios óbvios e subliminares… Eles querem nos embalar, nos conduzir como gados… Pegar carne. É, bife. Carne vermelha é o centro de nossas dietas. Meu veneno sem dúvidas é um barato, grande, e suculento corte de carne. Inteiro ou moído, entre 450 e 570 gramas por refeição. Este é o meu ideal. Barato é a palavra chave aqui. Quando estou no açougueiro, estou sempre de olho nos melhores pedaços, nos cortes “de primeira”. Cara, o que eu não daria por um pedaço daqueles agora com batatas assadas, creme de leite e manteiga. Aqui está a maldita ironia… O que aumenta o preço do bife não é o quanto magro ou saudável ele é, mas a quantidade de gordura, quanto de mármore tem o bife. O que é valorizado na loja do meu açougueiro, o que custa mais, é o excesso, a gordura. A sociedade é como o açougueiro. Vivemos neste gigante mundo de excessos. Vivemos em uma sociedade onde todos os nossos desejos podem ser realizados com um pedaço de plástico – um cartão de crédito que permite vivermos hoje colocando nossas responsabilidades para outro dia, para que possamos viver fora da gordura da terra. Isto, irmãos, é o excesso. Neste jogo, nesta vida, eu tenho um aviso… Corte os excessos de gordura. Corte o excesso de seu bife e de sua vida. Jogue limpo, jogue magro. Diga ao mundo que você não precisa da gordura e mande essa porcaria de volta.
“PELE.”
O excesso… O desnecessário… O ignorado… Como a pele em um frango, isso você descarta, o que resta ao final do dia no meu açougue. Como esta pele, sua pele, minha pele… Essa porcaria vai sempre pro mesmo caminho. É um teimoso e frágil muro que nos separa uns dos outros. Todos os dias as pessoas me olham, olham minha pele e me julgam. Quem sou eu? Um fisiculturista. O que está sob minha pele? Fatias de bife que levei anos para construir, esculpir e refinar. É isso que eu sou? Tudo que eu sou? Cave mais fundo. Talvez você ache um coração bombeando como um pistão. No lugar de vísceras, talvez você encontre engrenagens, molas, e bobinas. Isto sou eu? Diga-me, pois se você não souber, não sou eu quem vai dizer. Retire a pele e você chega à carne de verdade, o homem como ele é – do que o homem é feito. Cada gota de sangue… Cada fibra de seu ser. Cada sacrifício que ele tenha feito. Então na próxima vez que me ver, veja além. Há mais do que você consegue ver… Sou mais do que este rosto, este corpo. Sou mais do que os anos que deixei para trás, mais do que a soma de dezessete semanas agonizantes. Sou mais do que hoje e continuo buscando o amanhã. Dane-se, minha pele pode não revelar quem eu sou, mas quando se retira as camadas, talvez isto lhe dê um panorama melhor do que eu sou feito e do que fiz para chegar aqui…
“OSSOS.”
Carne é sobre o aqui e o agora. O músculo que pesa desses ossos. Se a carne é o presente, então os ossos são o futuro – o impenetrável e inevitável futuro. Então a pergunta que me faço é essa, irmãos… O que vai acontecer ao final dessas dezoito semanas, quando outra semana chegar e passar? Quando eu for velho e tiver que me apoiar em um “galho”? Terei eu deixado uma marca? Quando meu tempo neste mundo passar, como serei lembrado? Talvez seja apenas uma menção nos jornais. Não… Talvez uma linha ao lado das competições que ganhei e que perdi. Melhor não… Droga irmãos, deixe-me lhes dizer que minha vida será mais do que um monte de palavras. Minhas conquistas serão mais do que troféus. Não deitarei em paz comigo. Meu legado será mais do que carne, mais do que pele, mais do que ossos. Um dia, tudo isso terá seu fim. Agora semana que vem, estarei de cabeça erguida para a competição. Porém ao longo das dezessete passadas, terei cuspido dentes e sangue, quebrado ossos, e derramado tripas. Terei sido febril. Terei sido marcado. Sim esta vida tentará me esmagar, mas eu devolverei na mesma moeda… Acertarei tão forte que quando meu dia chegar terei um lugar na memória de meus inimigos e de meus amigos. Baterei meus ossos e farei um barulho tão ensurdecedor que as próximas gerações escutarão minha ira e lembrarão meu nome… Eles escutarão meu eco muito depois da poeira ter se apossado de meus ossos… Estes ossos que terão se tornado poeira.
A jornada - Frank McGrath 2007706895_333297538d_z
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Franco Columbu em Sex Abr 20, 2012 9:09 am

Semana 18 e o fim
“O QUE VAI EM VOLTA…”
Isto é para…
Os tiranos que me seguiram… Vocês reforçaram a minha determinação. Os inimigos que disseram que eu falharia… Eu ainda estou aqui. Aqueles que caíram sobre a terra pensando que eles eram a única estrela lá em cima... O céu da noite está em chamas com luzes. Meu velho… Sim, isso é para aqueles que não apenas me deram seu nome, mas mais… Eu senti a sua mão no meu ombro a cada dia e ela me guiou. Isto é para todos aqueles que acreditaram. Por dezoito semanas, tenho trabalhado fora da sociedade, em um caminho fixo e solitário. Agora eu completei o círculo, de volta para onde comecei. Aqui… Este lugar. Sim, a vida é assim. Sentado na beira da porta, no chão, o que eu aprendi é que esta jornada não é uma linha reta. E as anilhas de cada lado de mim, elas me apóiam, me prendem no lugar, como o suporte de livros em torno da história que é a minha vida… E o próximo capítulo está prestes a ser descoberto…
Linha reta
Cheguei de viagem ontem… Sim, a viagem foi um saco. Eu ainda estou nervoso e isso está nítido. Preciso acalmar os meus nervos. No aeroporto, eu me senti como se estivesse carregando os últimos cinco meses da minha vida comigo. Fiquei feliz porque a minha garota foi capaz de fazer o trabalho e feliz porque ela viajou comigo. Devem ter me olhado como uma aberração com todas aquelas malas e meu grande refrigerador... Você sempre viaja com suas refeições. Sempre. É por isso que quando você está se preparando para uma competição você não quer viajar, a menos que seja preciso. As comidas vão aonde você vai. Esta é a sua linha de vida. Para adicionar um insulto a este prejuízo tenho que caber em um banco apertado. E para que um saco de amendoins? Cara, você tem que ter senso de humor com isso tudo. Ainda, deveria ter pagado alguns dólares a mais para ir direto, em vez desse maldito pinga-pinga. Um tiro certeiro… Sim, todos nós sabemos que uma linha reta é a menor distância entre dois pontos, a maneira mais rápida de ir daqui até lá. Uma linha reta corta direto ao osso, direto ao ponto… Direto através de todas as besteiras, conversas fúteis e todas as distrações. Volte na Semana 5, eu falei sobre isso – como você tem que viajar no caminho, diretamente e honestamente. Mas vocês sabem o que, irmãos? Dezoito semanas me ensinaram um pouquinho a mais sobre este esporte e sobre quem eu sou… Sim, enquanto a linha reta talvez seja o caminho mais direto, mas nem sempre o melhor. Quando eu comecei esta Jornada, quando eu subi para encontrar o meu destino, eu sabia onde eu estava e pensei que sabia o quanto eu teria que andar. Eu vi o meu destino e tentei descobrir a maneira mais rápida para chegar lá. O fato é que a vida não gosta de linhas retas. Deixe isso para os matemáticos e engenheiros. Eu, eu sou um bodybuilder. Aqui no meu quarto de hotel, eu posso olhar para trás e ver como eu cheguei aqui. Agora eu posso ver onde me desviei, e mesmo onde andei para fora do caminho completamente. Mas isso é bom, irmãos. Algumas vezes você precisa voltar alguns passos atrás para então poder continuar seguindo em frente. Sim, isso é difícil de aceitar, mas a lição importante aqui é que esse progresso não é uma linha única e plana. Isso vem aos trancos e começa. É confuso. Nós não crescemos assim e certamente não vivemos dessa maneira. Este jogo não é sobre quem pode chegar ao fim mais rapidamente – que idiota quer isso? Cara, a vida não é uma corrida. Vá devagar e aproveite, aprenda com isso. Lembre, o seu legado, a marca que você deixa será determinada pelo que você completou entre ontem e amanhã. Isso leva tempo e a estrada será um carrossel… Para mim, embora o meu show seja amanhã, o fim desta Jornada não é a minha linha final… Quando isto acabar, eu não vou parar para recuperar o fôlego. Eu não vou deitar. Eu não estou completo. Não porque tenho um longo objetivo. Após a noite cair e as luzes se apagarem, depois de todos terem deixado o local, virá um novo dia… E mais uma vez vou encontrar o meu caminho.
“DEIXA PRA LÁ…”
Outro dia atrás de mim, um novo dia adiante de mim. Eu estou em pé no limiar, à beira do abismo. Cara, eu não posso acreditar que eu estou aqui – bastidores, logo antes do pré-julgamento. Sim, eu estou nervoso, mas eu digo dane-se. Quando você chega a este ponto, as coisas estão muito fora do seu controle. Tudo que eu poderia ter feito, gostaria de ter feito, já foi. Irmãos, estive esperando pelas últimas dezoito semanas como um filho da mãe teimoso, e é chegada a hora. Esta é a hora para saborear este momento. É difícil com todos estes competidores nesta sala… Há muita energia apreensiva por aqui. É como estar na selva. Todos estão se olhando de cima a baixo. Todo mundo quer saber onde eles estão na cadeia alimentar. Antes de você subir, a competição esquenta. Sim, este lugar é como uma panela de pressão a explodir. Mas eu não posso perder a cabeça. Não aqui. Não agora. Veja, a real competição não é lá fora. Não é com este cara rasgado de 125 kg próximo a mim fazendo o seu aquecimento. Não, a real competição sou eu. A guerra real está entre as minhas orelhas, na minha mente. Mantenha a sua cabeça junto. Movimente como água e deixe fluir. Deixe pra lá e relaxe. Deixe pra lá… O fato é que de nada vale se não souber primeiro como deixar pra lá. Aprender como deixar pra lá a mão de sua mãe. Aprender como caminhar fora da sombra de seu pai. Aprender como deixar aquele mapa – o que você confiou, aquele que você pensa que está dizendo a você como andar ao longo da vida. Quando nós seguimos um mapa, somos como turistas. Nós assistimos o cenário passar e tiramos algumas fotos. Nós esperamos por essas imagens como se fossem a verdadeira e real experiência… Ao longo das últimas dezoito semanas muitas pessoas quiseram fazer parte da minha Jornada. Elas queriam um pedaço de mim, como se eu fosse a foto que elas poderiam segurar em suas mãos. As pessoas vêm a mim com conselhos não solicitados para… Como este garoto que me disse como eu poderia obter mais do cardio e seguir com meus níveis de gordura corporal caindo cada vez mais na casa de um dígito. Ou aquela velhinha que me disse para comer tofu porque então eu poderia construir músculos rapidamente. Então teve aquele levantador de pesos que me explicou como eu poderia construir grandes braços mudando a ordem da minha rotina. Quando você está na estrada para o sucesso, os esquecidos e desconhecidos se levantam e tentam se prender a você. Cara, todas estas pessoas querem um pedaço do meu sucesso. Não fiquem sobrecarregados irmãos, e nunca sejam como turistas. Nunca viva através de suas velhas fotos ou através da vida dos outros. Apenas deixe pra lá. Somente quando você faz você perde. E se não perder, você nunca será capaz de encontrar o seu próprio caminho, o seu próprio destino. Estou prestes a ir em breve, e o que eu sei agora mais do que nunca, é que esta Jornada nunca foi de ninguém mais. Foi minha e só minha…
“SE MANDA…”
Esta manhã, eu me levantei… Coloquei as minhas calças, uma perna por vez, como eu sempre faço, como todo mundo faz. Sim, eu levantei antes do alarme disparar, antes do sol nascer. Um minuto, nada, o próximo, algo. Isto é como as chaves que vão na ignição e o motor eventualmente dispara. A combustão é iniciada. Pelas últimas dezoito semanas, esta vida – Cara, a minha vida – esteve cheia de trancos e barrancos, escuridão e luz. Momentos de perfeita clareza e momentos de confusão. Sem espaço para perda de tempo. Tem sido uma longa estrada, mas eu estou finalmente aqui, saindo… Fora das sombras e dentro do show com estas luzes que cegam. Saindo para mostrar ao mundo o que eu fiz com muito trabalho duro e as duas mãos. Estas mãos me trouxeram aqui. Dia após dia, noite após noite, como um arado seguindo em frente e a linha do meu destino se revelando atrás de mim. É como a história mítica que eu lembro ter ouvido quando criança, sobre aquele cara que caminhou em um labirinto para matar a metade homem, metade monstro. Muitos entraram lá, ninguém nunca saiu. Mas este cara fez. Depois de realizar a façanha, ele voltou seguindo a corda que ele deixou logo que entrou no local. Quando ele deu o primeiro passo fora daquele labirinto, eu me pergunto como ele se sentia? Qual é a sensação de ser transformado? Entrou um homem, e saiu um herói. Eu, estou prestes a dar um passo fora também. No entanto, eu não posso dizer se este lugar é uma entrada ou uma saída… E eu não posso ver muito longe por causa destas luzes brilhantes. É aqui que o medo aperta você – caminhando pelo desconhecido. Nós todos temos medo de perder, não temos? Sim, esta é a história da minha vida. Muitos gostariam de escolher viver fora de suas vidas em uma pequena sala – quente, segura e seca. O mundo lá fora é um lugar assustador. É um grande labirinto cheio de monstros e demônios. O caminho que leva para fora daquela sala desaparece no horizonte. Mas você sabe o que? Deixe-me contar a você algo, e eu quero ser muito claro com isto… Gostaria de nunca ter descoberto do que eu era feito, o que eu poderia construir com minhas duas mãos. A coragem me fez chegar até aqui, coragem para colocar aquela chave na ignição. Veja, a vida começa com uma simples faísca, então uma simples conexão. Mas quando nós nascemos, aquela conexão, aquela linha deve ser cortada. De outra maneira aquela linha de vida se torna uma corrente, uma barreira. Temos que crescer para nos tornar homens e trilhar os nossos próprios caminhos. Sim, andar pelo desconhecido, na escuridão, pode ser assustador. Mas, o que me tranquiliza é isso… Eu sei que tenho coragem para caminhar. Eu também sei que se eu puder ver através da escuridão deste local, eu veria o meu pai. Isso me tranquiliza também. Sim, ele estaria lá com certeza, à frente e no centro, como ele sempre foi em minha vida. Ele estaria ao lado da minha mãe. Minha irmã, sim, ela estaria lá também junto com a minha garota. Cara, nenhum deles perderia isso por nada, nem mesmo o Big Red, ele estaria sentado perto do seu parceiro de treino, Chops. Eu sei que eu ia ver mais rostos conhecidos, mesmo aqueles da minha juventude – os valentões, os críticos. Mas eu também veria os rostos do futuro – os jovens fisiculturistas. Então isso, então tudo isso, é para mim… Mas é também para eles. E é para você também. Se eu ficar olhando, sei que eventualmente verei o seu rosto – o rosto de alguém que despertou a partir da névoa de um sonho, do labirinto de sua antiga vida. Irmãos, onde quer que vocês forem, o que fizerem nesta vida, nunca tenham medo. Escolha ser corajoso. Siga em frente, como homem, para os labirintos que estarão diante de vocês. Não tenha medo de perder o seu caminho, senão você nunca irá crescer… Você nunca saberá o herói que estava destinado a se tornar.
Franco Columbu
Franco Columbu
Franguinho
Franguinho

Mensagens : 137
Reputação : 19
Data de inscrição : 12/04/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

A jornada - Frank McGrath Empty Re: A jornada - Frank McGrath

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum